TGV em Portugal? Prioridade é reforçar conexões ferroviárias, diz comissária europeia

  • ECO
  • 17 Fevereiro 2018

Violeta Bulc considera que, mais importante do que atingir já velocidades acima dos 250 km/hora, a prioridade deve ser garantir em primeiro lugar o reforço das conexões ferroviárias.

A ligação de alta-velocidade entre Sines-Lisboa e Madrid é um dos projetos considerados prioritários a nível europeu. Mas a comissária europeia para o Transportes considera que, mais importante do que atingir já velocidades acima dos 250 km/hora, a prioridade deve ser garantir em primeiro lugar o reforço das conexões ferroviárias, nomeadamente as que ligam Portugal a Espanha. Isto depois de o primeiro-ministro, António Costa, ter afirmado há uma semana que o TGV é “um tabu e vai sê-lo por muito tempo”.

“Portugal precisa de ligações ao Mercado Único e encorajamos que esta conectividade seja uma prioridade entre os corredores referenciados“, afirma Violeta Bulc, comissária com a pasta dos Transportes, numa entrevista ao Expresso. A responsável europeia insiste que é preciso concluir o troço transfronteiriço que vai ligar Évora a Mérida. “Assim que o troço transnacional esteja completo, espero que que isso estimule a continuação da ligação com as cidades principais”, refere, referindo-se ao transporte de carga e de passageiros.

"Portugal precisa de ligações ao Mercado Único e encorajamos que esta conectividade seja uma prioridade entre os corredores referenciados.”

Violeta Bulc

Comissária com a pasta dos Transportes

Bulc afirma que o TGV entre Lisboa e Madrid é uma decisão do Governo, mas deixa um desafio: “Ponham os números em cima da mesa. Que tráfego podem ter? Justifica-se o investimento em linhas de alta-velocidade ou poderia uma linha até 280 km/hora satisfazer as necessidades dos passageiros?”, questiona.

Há uma semana, o primeiro-ministro, António Costa afirmou, em entrevista ao diário espanhol ABC, que a construção de uma linha para comboios de alta velocidade entre Lisboa e Madrid está adiada por “muito tempo” porque é uma questão “tabu” em Portugal.

“A alta velocidade é um tema tabu na política portuguesa e vai sê-lo por muito tempo”, disse António Costa, acrescentando que “um dia” terá de se olhar para este tipo de rede ferroviária, que está a crescer na maior parte da Península Ibérica e na qual Portugal “estará de fora”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

TGV em Portugal? Prioridade é reforçar conexões ferroviárias, diz comissária europeia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião