Fidelidade e BCP ajudam aos lucros de 1,7 mil milhões da Fosun

  • Rita Atalaia
  • 27 Março 2018

O grupo chinês registou lucros de 1,7 mil milhões de euros no ano passado, um crescimento de quase 30% que foi impulsionado pelos investimentos que tem em Portugal.

A Fosun aumentou os lucros no ano passado. O conglomerado chinês registou resultados líquidos de 1,7 mil milhões de euros (13,16 mil milhões de yuan), uma melhoria em comparação com os cerca de 1,3 mil milhões no ano anterior. O negócio da saúde foi o que mais cresceu, seguido do financeiro, que é o que tem maior peso nos resultados, onde se inclui a Fidelidade e o BCP.

“Os resultados fortes traduzem a melhoria das operações estratégicas e a disciplinada alocação de ativos”, afirma o grupo chinês num comunicado. “Em 2017, assistimos a um crescimento significativo das operações estratégicas, incluindo a Fosun Pharma, Club Med, Yuyuan, Millennium BCP e Nanjing Nangang”, destaca a dona da Fidelidade.

"Os resultados fortes traduzem a melhoria das operações estratégicas e a disciplinada alocação de ativos”, afirma o grupo chinês num comunicado. “Em 2017, assistimos a um crescimento significativo das operações estratégicas, incluindo a Fosun Pharma, Club Med, Yuyuan, Millennium BCP e Nanjing Nangang.”

Fosun

A subida de 28% dos lucros para 1,7 mil milhões, que acompanha o aumento de 19% das receitas para 11,3 mil milhões de euros, ficou a dever-se ao crescimento registado no negócio segurador e financeiro. Cresceu de 313,3 de euros para 501,1 milhões de euros no ano passado, uma evolução positiva de 59,9%, enquanto a unidade de investimento cresceu 22,9%.

“Beneficiando da estratégia nos seguros e investimento, a seguradora portuguesa Fidelidade também reportou uma investment yield total de 3,6%, o que fica acima da média do mercado”, revela o grupo chinês. Já o BCP “anunciou uma recuperação face as prejuízos registados no ano anterior, para um lucro líquido de 186 milhões de euros. O banco também melhorou a sua posição de negócio com 5,4 milhões de clientes”.

Perante estes resultados, a empresa liderada por Guo Guangchang vai recomendar um aumento de 67% do dividendo a distribuir aos seus acionistas, para 0,35 yuan. A Fosun vai assim entregar mais de um quinto dos resultados (22,8%) obtidos durante o ano passado.

(Notícia atualizada às 12h42 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fidelidade e BCP ajudam aos lucros de 1,7 mil milhões da Fosun

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião