Desemprego recua para 7,6%, mínimo de quase 14 anos

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 30 Abril 2018

É o valor mais baixo em quase 14 anos. A taxa de desemprego desceu para 7,6% em fevereiro, representando uma revisão em baixa face à estimativa provisória. Março deverá marcar novo recuo, para 7,4%.

A taxa de desemprego voltou a descer em fevereiro, desta vez para 7,6%. É preciso recuar até abril de 2004 para encontrar um valor mais baixo, indicam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) publicados esta segunda-feira. Em março, o desemprego diminui novamente, para 7,4%, avança a estimativa ainda provisória.

Os dados de fevereiro, que colocam a taxa de desemprego nos 7,6%, representam uma revisão de menos 0,2 pontos percentuais face à estimativa provisória que tinha sido divulgada no início do mês. A taxa de fevereiro desce 0,3 pontos percentuais face ao mês anterior e 2,3 pontos, comparando com o mesmo mês de 2017.

Taxa de desemprego

Fonte: INE Nota: Estimativa provisória para março

O INE estima a população desempregada em 395,1 mil pessoas, menos 3,2% em relação ao mês anterior. Já a população empregada cresceu 0,1%, indicam os valores ajustados de sazonalidade.

Dados provisórios apontam para nova descida em março

O desemprego deverá continuar a trajetória descendente em março. A estimativa ainda provisória do INE aponta para uma taxa de 7,4% nesse mês, menos 0,2 pontos face ao valor de fevereiro. A confirmar-se este número — no destaque a publicar a 30 de maio — a taxa vai igualar a registada em abril de 2004. E o número de pessoas desempregadas desce para 381,2 mil pessoas.

Já o desemprego jovem — que recuou de 21,5% em janeiro para 21,2% em fevereiro — avança em março para 21,3%, continuam os dados provisórios.

(notícia atualizada às 11h54 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Desemprego recua para 7,6%, mínimo de quase 14 anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião