Suspeitas sobre Pinho e Sócrates envergonham qualquer socialista, diz Galamba

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 3 Maio 2018

Depois de Carlos César, João Galamba também fala em vergonha relativamente às suspeitas que recaem sobre José Sócrates e Manuel Pinho.

Depois de Carlos César ter notado que o PS se sente envergonhado com os casos que envolvem Pinho e Sócrates, João Galamba também já veio dizer que o partido “sempre esteve incomodado” com as suspeitas que recaem sobre os ex-governantes.

“Qualquer socialista quando vê ex-dirigentes, no caso um ex-primeiro-ministro e que foi secretário-geral do PS, acusado de corrupção, branqueamento de capitais, etc., obviamente que é algo que envergonha qualquer socialista, sobretudo se as matérias pelas quais é acusado se vierem a confirmar, e o caso de Manuel Pinho idem. Penso que nunca existiu nenhuma dúvida quanto ao facto de o PS não estar propriamente contente e agradado com esta situação, como é evidente”, referiu o deputado socialista na SIC Notícias.

Galamba garante que “o Partido Socialista sempre esteve incomodado” e frisou quehouve muita gente que pediu” que o PS “se envolvesse na defesa do primeiro-ministro”, mas “o Partido Socialista obviamente manteve-se sempre afastado disso”, recusando que tenha havido qualquer “mudança de atitude”.

“Estamos sobretudo perplexos com a revelação pública de que houve um ministro de um Governo, neste caso de um Governo do Partido Socialista, em que há provas de que esse ministro recebia mensalmente verbas quando disse publicamente que tinha cessado toda e qualquer relação com o Banco Espírito Santo”, adiantou ainda esta quarta-feira à noite.

Também ontem, o líder da bancada socialista, Carlos César, já tinha assinalado que o PS se sente envergonhado com as acusações que recaem sobre Manuel Pinho e José Sócrates, em declarações à TSF.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Suspeitas sobre Pinho e Sócrates envergonham qualquer socialista, diz Galamba

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião