Alargamento dos serviços mínimos bancários entra em vigor amanhã

  • ECO
  • 8 Maio 2018

Diploma aumenta para 24 as transferências por ano entre bancos e permite que os cartões de débito sejam usados fora da União Europeia. Diploma foi publicado esta terça-feira.

O alargamento dos serviços mínimos bancários entra em vigor esta quarta-feira. O diploma foi publicado hoje em Diário da República.

A lei que alarga os serviços mínimos bancários aumenta para 24 o número de transferências interbancárias por ano através de homebanking. Até agora, só era possível fazer 12 transferências para contas de outros bancos através da página do banco na Internet ou da aplicação móvel.

O diploma permite ainda que os cartões de débito sejam usados fora da União Europeia, passando a poder fazer-se pagamentos de baixo valor, sem inserção do número PIN.

As instituições de crédito terão então 30 dias, após a entrada em vigor da lei, para substituírem os “cartões de débito atualmente associados às contas de serviços mínimos bancários por novos cartões de débito com características idênticas às dos disponibilizados fora do âmbito dos serviços mínimos bancários”, indica o diploma.

Os serviços mínimos bancários são disponibilizados por todos os bancos e podem ser requisitados por qualquer cidadão, tendo um custo anual máximo de 1% do Indexante de Apoios Sociais (IAS), o que atualmente corresponde, no máximo, a menos de cinco euros por ano.

Estas contas incluem um conjunto de serviços bancários considerados essenciais, nomeadamente a abertura e manutenção de uma conta de depósitos à ordem, um cartão de débito, realização de débitos diretos, transferências ilimitadas para contas do mesmo banco. No final de 2017, havia mais de 44 mil contas de serviços mínimos bancários.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alargamento dos serviços mínimos bancários entra em vigor amanhã

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião