Inovação e investimento com ‘sede’ em Braga. Arranca Semana da Economia

  • ECO + InvestBraga
  • 18 Maio 2018

A InvestBraga organiza de 21 a 25 de maio a terceira edição da Semana da Economia, para assinalar quatro anos de atividade e apresentar o trabalho realizado nas suas diversas áreas de atuação.

Braga vai ser, a partir do dia 21 de maio, a ‘sede’ nacional da inovação e do investimento, com a realização da Semana da Economia e, no dia 23, com o Fórum Económico. O evento promovido pela InvestBraga, que vai envolver o tecido empresarial e industrial de Braga, startups e várias entidades parceiras, será uma mostra do potencial económico e de inovação do concelho e da região. Com esta edição, dedicada à Inovação e Investimento, a InvestBraga pretende afirmar a sua visão para o modelo económico da região: Passar do conceito “made in Braga”, para o “invented/designed in Braga”.

O programa ao longo da semana, que foi desenhado para mostrar os principais fatores atrativos da região para a captação de investimento, contará com as presenças do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral; do Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes e da Secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann, entre muitas outras individualidades.

A InvestBraga preparou um programa diversificado, que integra vários “Open Days” em empresas de referência na região (com o objetivo de dar a conhecer os bons exemplos empresariais do concelho), mas também diversas talks, conferências, jornadas e o Fórum Económico. A maior parte dos eventos está abertos ao público mediante o pré-registo.

O ponto alto da Semana da Economia é o Fórum Económico, que vai realizar-se no dia 23, no Fórum Braga, a partir das 14h30. Sob o tema “Inovação e Investimento”, o Forum contará com a presença do Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral na abertura da sessão. Nesta ocasião, além de um balanço de toda a atividade da InvestBraga e da apresentação da atualização do Plano Estratégico de Desenvolvimento Económico de Braga 2014-2026, haverá um painel dedicado ao tema Inovação e Investimento, que conta com a participação do keynote speaker, Doug Hart do MIT. No debate, estarão Luís Castro Henriques (Presidente da AICEP), Carlos Ribas (Administrador da Bosch em Portugal) e António Cunha (Universidade do Minho), além da secretária de Estado da Indústria, Ana Lehman.

Haverá também espaço para a discussão de temas macro do presente e futuro do país, num ECO Talks conduzido por António Costa com o advogado e comentador político, Luís Marques Mendes.

Outro grande destaque da Semana da Economia é a conferência “Supercomputação e Data Science… de Braga para o Mundo”. Num altura em que Universidade recebe o maior supercomputador nacional, Braga quer afirmar-se como o centro de competências e excelência para a Supercomputação e Data Sciense. O evento terá três momentos: “O futuro da supercomputação e da data science”, um segundo momento dedicado à “Supercomputação e data science na economia” e um último momento, onde algumas empresas nacionais apresentarão o seu testemunho sobre o “advanced computing”.

Prevista para o dia 23 de maio está também a inauguração do novo Centro de Engenharia da APTIV (antiga Delphi), um investimento que marcará uma nova fase da multinacional, com a contratação de 150 engenheiros nos próximos dois anos. Esta inauguração é mais um sinal da capacidade de Braga para atrair investimento em centros de engenharia e inovação e é uma prova do dinamismo económico que se vive na cidade.

De salientar ainda outros quatro eventos que decorrerão na Semana da Economia: No dia 24 de maio (5ª feira) de manhã vai realizar-se no Forum Braga uma conferência intitulada “Turismo de Negócios: Uma aposta no Futuro”, que pretende mostrar como Braga está a posicionar-se, após a abertura do Forum Braga, para ser uma cidade de referência no país e na Galiza para a realização de grandes eventos. Ainda da parte da manhã, as grandes questões sobre o mundo dos impostos serão debatidas nas Jornadas da Fiscalidade, que contarão com a presença de Rui Leão Martinho, Bastonário da Ordem dos Economistas, de vários responsáveis da consultora PWC, bem como de diversos especialistas na área do direito fiscal.

No mesmo dia, mas da parte da tarde, será realizado o Demo Day da Startup Braga, onde as startups que fazem parte da 5ª edição do programa de aceleração da Startup Braga irão fazer os seus pitch’s.

Já no dia seguinte, dia 25, a conferência “Evolução Digital na Construção e nas Cidades”, que se realizará no Forum Braga entre as 9h00 e as 17h30, vai trazer a Braga um painel de prestigiados convidados nacionais e internacionais que irá abordar os temas relacionados com a construção na era do digital, a economia circular e as smart cities. Este evento contará com a presença do Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, que falará sobre o tema da Economia Circular.

Recorde-se que as atividades da Semana da Economia são gratuitas, no entanto, os interessados em participar nestes eventos terão de fazer obrigatoriamente a sua inscrição devido ao limite de capacidade das salas onde os eventos se irão realizar. As inscrições podem ser feitas online através dos seguintes links:

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Inovação e investimento com ‘sede’ em Braga. Arranca Semana da Economia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião