Justiça impede Trump de bloquear opositores no Twitter

  • Lusa
  • 24 Maio 2018

O presidente norte-americano está proibido de bloquear utilizadores com opiniões políticas diferentes das suas. Departamento de Justiça dos EUA desaprova "respeitosamente" esta decisão.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, está impedido de bloquear utilizadores do Twitter que tenham opiniões políticas diferentes das suas e que queiram aceder à conta do governante naquela rede social, decidiu esta quarta-feira uma juíza de Nova Iorque.

A juíza Naomi Reice Buchwald, do distrito nova-iorquino de Manhattan, deliberou que bloquear o acesso à conta @realDonaldTrump seria uma violação do direito à liberdade de expressão. O Twitter tem sido a ferramenta de comunicação preferida de Trump, seja para comentar qualquer acontecimento da atualidade norte-americana ou internacional ou para anunciar medidas governativas.

A decisão da juíza de Nova Iorque surge em sequência de um processo apresentado pelo The Knight First Amendment Institute, da Universidade de Columbia, em nome de sete utilizadores do Twitter que foram bloqueados por Trump porque tinham criticado ou gozado com o chefe de Estado norte-americano naquela rede online. Esta quarta-feira, a juíza concordou com o argumento apresentado de que esta plataforma online pode ser classificada como “um fórum público” concedido a todos os cidadãos norte-americanos.

A Casa Branca não comentou, até ao momento, a decisão judicial. Contactado pela agência noticiosa francesa France Presse (AFP), o Departamento de Justiça norte-americano, cujos advogados muitas vezes defendem o Presidente, declarou “desaprovar respeitosamente” a decisão da magistrada. Atualmente, a conta pessoal de Trump no Twitter é seguida por 52 milhões de utilizadores.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Justiça impede Trump de bloquear opositores no Twitter

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião