Augusto Santos Silva: “Partido Socialista fala para todos”

  • ECO
  • 25 Maio 2018

O número dois do Governo e dirigente socialista afirma que o PS tem "políticas para virtualmente todas as políticas públicas".

Augusto Santos Silva garante que o Partido Socialista “fala para todos”, porque é essa a função de um partido de Governo. Em entrevista ao Expresso (acesso pago), que será publicada na íntegra na edição de sábado do semanário, o ministro dos Negócios Estrangeiros afirma que o PS tem propostas “para todas as políticas públicas”.

Questionado sobre as várias correntes no PS, Augusto Santos Silva nota que “há muitas diferenças doutrinárias e programáticas internas, umas correntes mais internacionalistas e outras mais soberanistas, umas que entendem que a União Europeia é o nosso espaço natural de afirmação, outras que dizem que há um travão à integração europeia, que é a soberania nacional, outras ainda que defendem um sindicalismo típico de negociação”.

Contudo, o ministro dos Negócios Estrangeiros deixa uma garantia: “O PS tem propostas para virtualmente todas as políticas públicas”, considerando que deverá ser possível encontrar uma nova plataforma com os partidos à esquerda depois das eleições de 2019.

“Todos nós aprendemos com este processo. A direita aprendeu a não dar por adquirido o que não o está, que não pode contar com a abstenção construtiva do PS, que não bastava colocar-se na posição de suposta vítima ou repetir ad nauseum as glórias supostas do seu governo anterior para reconquistar o favor dos portugueses”, afirma o gestor.

“Os nossos parceiros também terão aprendido com este processo e estarão talvez hoje em condições de rever as suas posições em áreas das políticas públicas em que regra geral estão nos antípodas do PS”, refere ainda Augusto Santos Silva.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Augusto Santos Silva: “Partido Socialista fala para todos”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião