Disney aumenta oferta para comprar a 21st Century Fox. Já vai em 71,3 mil milhões de dólares

  • Lusa
  • 20 Junho 2018

A Walt Disney subiu a oferta de compra inicial, que se situava em 65 mil milhões de dólares. Agora está a oferecer mais 6,3 milhões.

A Walt Disney anunciou esta quarta-feira que subiu a oferta para comprar grande parte dos ativos do grupo de media e entretenimento 21st Century Fox para 71,3 mil milhões de dólares (61,5 mil milhões de euros).

A proposta inicial da Disney anunciada em dezembro tinha sido de 52.400 milhões de dólares. Esta nova oferta surge depois de uma outra anunciada na semana passada pelo operador Comcast, no valor de 65 mil milhões de dólares, totalmente em numerário. Já a oferta da Disney inclui metade do pagamento em numerário e metade em ações.

A cadeia de televisão Fox News, The Wall Street Journal e a agência de informação DowJones, que pertencem igualmente à família Murdoch, não fazem parte dos ativos que vão ser vendidos, ao contrário do que acontece com os estúdios de cinema 21st Century Fox e com o canal de televisão National Geographic, entre outros ativos.

Os detalhes financeiros desta operação dão conta de um valor total de 71,3 mil milhões de dólares, dos quais 35,7 mil milhões serão pagos em dinheiro. Os acionistas da Fox vão igualmente receber 343 milhões de ações da Disney, o que lhes dará 19% do capital da nova entidade. A Disney sublinhou que os conselhos de administração das duas empresas aprovaram esta nova proposta, ou seja que a empresa tem o apoio de Rupert Murdoch e dos seus dois filhos, Lachlan e James, principais acionistas e dirigentes da 21st Century Fox.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Disney aumenta oferta para comprar a 21st Century Fox. Já vai em 71,3 mil milhões de dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião