Lisboa recupera após três sessões de quedas. Energia puxa

O PSI-20 valoriza em torno de 0,5%, com a Galp Energia, EDP e EDP Renováveis a puxarem pelo seu desempenho. O índice bolsista português segue os pares europeus.

A bolsa nacional arrancou em alta, provando os primeiros ganhos após três sessões a negociar no vermelho. O PSI-20 segue os ganhos dos pares europeus, suportado pela valorização dos títulos do setor energético, mas também pela recuperação do BCP.

O índice bolsista iniciou a sessão a valorizar 0,53%, para os 5.517,36 pontos, com a quase totalidade dos títulos que o compõem em terreno positivo.

O rumo positivo do PSI-20 e dos restantes pares europeus acontece numa altura em que tudo aponta para que Angela Merkel tenha alcançado um acordo com o ministro do Interior Seehofer. Segundo adiantam os jornais alemães, o ministro do Interior e líder da CSU (parceiro da coligação da Chanceler Merkel) teria conseguido que a chanceler alemã concordasse com uma série de medidas que restringisse a imigração ilegal na Alemanha.

Por cá, a Galp Energia é um dos principais suportes dos ganhos da praça lisboeta, com as suas ações a valorizarem 1,05%, para os 16,38 euros. A petrolífera acompanha o rumo das cotações do petróleo nos mercados internacionais no dia em que o ECO avança que a Amorim Energia teve de desembolsar no mês passado 400 milhões de euros para manter a sua posição de referência na Galp, numa operação que vem clarificar a estrutura acionista da petrolífera portuguesa por entre rumores de fusões e aquisições.

Nota positiva ainda para a subida dos títulos do universo EDP. As ações da empresa liderada por António Mexia valorizam 0,41%, para os 3,424 euros, enquanto as da EDP Renováveis somam 0,84%, para os 8,99 euros.

Já a REN valoriza 0,58% para 2,448 euros, depois de na segunda-feira ter anunciado que celebrou um contrato para vender o negócio de gás de petróleo liquefeito (GPL) à Energyco.

Em alta, de salientar ainda o BCP que vê os seus títulos valorizarem 0,94%, para os 25,66 cêntimos, ajudando a suportar o rumo do PSI-20.

(Notícia atualizada às 8h22 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa recupera após três sessões de quedas. Energia puxa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião