UE avisa EUA que relação comercial bilateral vai mudar com ‘Brexit’

  • Lusa
  • 12 Julho 2018

"Deveríamos preparar-nos para qualquer tipo de cenário, incluindo o de falta de acordo”, afirmou Michel Barnier, negociador-chefe da União Europeia para o ‘Brexit’.

O negociador-chefe da União Europeia para o ‘Brexit’, Michel Barnier, avisou esta quarta-feira os empresários dos EUA que a relação comercial transatlântica “não voltará a ser como era” depois da saída do Reino Unido da União Europeia.

“Os negócios não vão voltar a ser o que eram devido ao ‘Brexit’ (palavra usada para significar a saída dos britânicos da União Europeia). Esta é a verdade. E deveríamos preparar-nos para qualquer tipo de cenário, incluindo o de falta de acordo”, afirmou Barnier a um grupo de empresários, com quem se reuniu hoje, durante uma conferência organizada pela Câmara de Comércio dos EUA, em Washington.

O funcionário europeu recordou os presentes que o Reino Unido tinha decidido abandonar de “maneira automática” os 750 acordos internacionais que o vinculam ao continente europeu e que, além disso, Londres tinha definido uma série de ‘linhas vermelhas’ para marcar a relação com os seus antigos parceiros.

“Não se querem submeter à Justiça europeia, nem aceitar a liberdade de movimentos, nem continuar a pagar à União Europeia”, lamentou Barnier, que declarou que respeita a decisão britânica, mas defendeu que chegou o momento de concretizar a saída do Reino Unido, depois do referendo de 2016.

Barnier sublinhou que “fora” do mercado único europeu é necessário submeter-se a uma série de controlos, pelo que convidou os norte-americanos a “analisar o seu nível de exposição” ao Reino Unido antes de este sair da União Europeia, o que está previsto para março de 2019.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

UE avisa EUA que relação comercial bilateral vai mudar com ‘Brexit’

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião