Jerónimo Martins sobe 3% e dá boleia a Lisboa

  • Rita Atalaia
  • 17 Julho 2018

A praça portuguesa arrancou a sessão em queda, com as energéticas a castigarem o índice. Mas Lisboa acabou por recuperar, à boleia dos ganhos de quase 3% da Jerónimo Martins.

A bolsa de Lisboa abriu esta terça-feira em queda, com as empresas do setor energético a pressionarem. Mas esta tendência acabou por se inverter, graças à recuperação do grupo EDP, mas também aos ganhos expressivos da Jerónimo Martins. A retalhista subiu quase 3%.

O índice de referência nacional, o PSI-20, começou por cair 0,22% na abertura. Mas recuperou das perdas ao longo da sessão, tendo encerrado em alta de 0,33% para 5.639,46 pontos, em linha com o resto da Europa. O Stoxx 600 subiu 0,28% para 385,14 pontos.

PSI-20 recupera à boleia da Jerónimo Martins

Se o grupo EDP começou por pressionar a praça portuguesa, foi também um dos responsáveis pela recuperação de Lisboa. A EDP valorizou 0,29% para 3,4730 euros, enquanto a EDP Renováveis avançou 0,39% para 9,0050 euros, depois de a empresa liderada por Manso Neto ter anunciado um aumento de produção de 6% nos primeiros cinco meses do ano.

Mas foi a Jerónimo Martins a responsável pela valorização do índice nacional. A retalhista subiu 2,69% para 12,9950 euros. Também o BCP avançou 0,58% para 26,11 cêntimos, ao mesmo tempo que os CTT aceleraram 0,82% para 2,9520 euros.

Do lado das perdas, destaque para a Mota-Engil (-0,99%), mas também para a Navigator (-0,10%), Semapa (-0,66%) e para a Nos, que viu o seu preço alvo cortado pelo Citigroup em 80 cêntimos, passando assim dos 5,90 euros para os 5,10 euros. Ainda assim, as ações da empresa de telecomunicações seguiram a negociar bem abaixo deste valor, recuado 0,87% para 4,8080 euros.

(Notícia atualizada às 16h54 com mais informação)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Jerónimo Martins sobe 3% e dá boleia a Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião