Bloco propõe aumentos faseados na Função Pública para reforçar pessoal

  • ECO
  • 4 Setembro 2018

A proposta já foi discutida nas duas reuniões que o Bloco teve com o Ministério das Finanças, no âmbito das negociações sobre o Orçamento do Estado para 2019

Os sindicatos pedem aumentos salariais para a Função Pública, António Costa prefere um aumento do número de funcionários. O Bloco de Esquerda vem agora propor uma solução combinada: fasear aumentos transversais na Função Pública para que seja possível reforçar o número de efetivos. A notícia é avançada, esta terça-feira, pelo Jornal de Negócios.

Para que não seja preciso abdicar de qualquer das reivindicações, os bloquistas admitem que os aumentos poderiam ser feitos gradualmente, por exemplo, em dois momentos do ano, criando, assim, margem orçamental para contratar mais pessoal já em 2019. A proposta já foi discutida nas duas reuniões que o Bloco teve com o Ministério das Finanças, no âmbito das negociações sobre o Orçamento do Estado para 2019.

Ainda não há acordo sobre a matéria, mas, segundo o Jornal de Negócios, o Governo mostrou disponibilidade para avaliar a proposta, ainda que não se tenha comprometido.

Não há ainda números definidos, mas o objetivo é identificar os setores e serviços com maiores necessidades de recursos humanos. Para já, as Finanças estão a trabalhar num plano global para identificar as entradas e saídas previstas para os próximos quatro anos, por setor e por serviço. Este plano já deveria ter sido divulgado em maio, mas ainda está a ser ultimado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bloco propõe aumentos faseados na Função Pública para reforçar pessoal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião