Revista de imprensa internacional

Enquanto o principal partido da oposição promete votar contra o acordo de Theresa May, Bolsonaro segue à frente na corrida às eleições presidenciais brasileiras.

O Brexit continua a ser um dos temas mais quentes, com Theresa May cada vez mais envolvida em tensões sobre um acordo para a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), enquanto na Suécia, o primeiro-ministro acaba de ser destituído. Ao mesmo tempo, no Brasil contam-se os dias para a eleição do futuro presidente, com Jair Bolsonaro a liderar as sondagens. Nos Estados Unidos, as notícias centram-se, principalmente, nas empresas, com a compra da Versace pela Michael Kors e os 5.000 milhões de euros conseguidos pela Nike com uma campanha antirracismo.

Reuters

Partido Trabalhista prepara-se para votar contra acordo de May

O principal partido da oposição britânica prepara-se para votar contra qualquer acordo apresentado por Theresa May, mostrando-se disponível para votar a favor de um segundo referendo, disse Keir Starmer, porta-voz do Partido Trabalhista (PT). O partido realizou seis testes para avaliar os impactos de diferentes acordos, sobre os quais afirmam que a primeira-ministra está no caminho certo para reprovar em todos. “Nós vamos votar contra um mau acordo ou vamos votar contra qualquer acordo, porque isso não é bom para o país nem para as pessoas que votaram”, disse. Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês)

G1

Nova sondagem dá vitória a Bolsonaro no Brasil

De acordo com a sondagem realizada pelo Ibope — Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística — sobre as eleições presidenciais, Jair Bolsonaro é o preferido dos brasileiros (28%), mantendo-se na liderança nas últimas pesquisas feitas. Em segundo vem Fernando Haddad (22%) e Ciro Gomes (11%). O inquérito, feito a mais de 2.500 eleitores, apresenta um nível de confiança de 95%, ou seja, é essa a probabilidade de os resultados retratarem a realidade. A primeira volta das eleições vai decorrer a 7 de outubro. Leia a notícia completa no G1 (acesso livre, conteúdo em português)

The Guardian

Primeiro-ministro da Suécia destituído pelo Parlamento

O primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, foi destituído pelo Parlamento, depois da aprovação de uma moção de censura ao seu Governo, apresentada pela oposição e aprovada com 204 votos a favor e 142 contra. Löfven torna-se, assim, o primeiro chefe de Governo do país a ser afastado nestas condições, e deverá permanecer em funções até o presidente do Parlamento, Andreas Norlén, nomear outro líder partidário para tentar formar Governo. Leia a notícia completa no The Guardian (acesso livre, conteúdo em inglês)

Expansión

Michael Kors compra a Versace por 2.000 milhões de euros

A Michael Kors está prestes a assumir o controlo da italiana Versace, avaliada em 2,35 mil milhões de euros, num negócio que ronda os 2.000 milhões de euros. A marca norte-americana nunca escondeu a vontade em ampliar o seu portefólio de marcas de luxo, depois de ter adquirido no ano passado a fabricante de calçado feminino Jimmy Choo por 1.200 milhões de dólares. Leia a notícia completa no Expansión (acesso livre, conteúdo em espanhol)

El País

Nike ganha 5.000 milhões com campanha antirracismo

A marca desportiva aumentou em 5% o seu valor de mercado, depois do lançamento de uma campanha antirracismo, protagonizado pelo jogador Colin Kaepernick. Este crescimento traduz-se em 6.000 milhões de dólares (5.000 milhões de euros) em apenas três semanas, e representa um valor recorde para os títulos da multinacional, que bateram máximos históricos dias depois do lançamento da campanha de comemoração do 30.º aniversário do slogan Just Do It. Leia a notícia completa no El País (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião