IMI acima de 100 euros? Vai poder pagá-lo em prestações

O Governo quer dar aos contribuintes a possibilidade de pagar o IMI em prestações quando este for superior a 100 euros. Se for igual ou inferior a este valor, o pagamento é efetuado um mês mais tarde.

A proposta do Orçamento do Estado (OE) para o próximo ano também traz alterações a nível da habitação, nomeadamente em termos de impostos. Uma das mudanças apresentadas pelo Governo é a possibilidade de o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) ser pago em prestações, no caso da nota de liquidação ser superior a 100 euros.

Atualmente, esse imposto pode ser pago de três formas: de uma só vez, durante o mês de abril, quando o seu montante é igual ou inferior a 250 euros; em duas prestações, em abril e novembro, quando é superior a 250 euros ou em três prestações — abril, julho e novembro –, quando o seu montante é superior a 500 euros.

Contudo, de acordo com o documento apresentado esta segunda-feira pelo Governo, o IMI poderá continuar a ser pago de diferentes formas: de uma só vez ou em prestações. Mas, agora se o valor for inferior a 100 euros, o pagamento poderá ser efetuado um mês mais tarde, em maio. Se for superior poderá ser pago em prestações.

Assim, as alterações ditam que o imposto deve ser pago “numa prestação, no mês de maio, quando o seu montante seja igual ou inferior a 100 euros; em duas prestações, nos meses de maio e novembro, quando o seu montante seja superior a 100 euros e igual ou inferior a 500 euros; em três prestações, nos meses de maio, agosto e novembro, quando o seu montante seja superior a 500 euros”, conforme se lê no documento apresentado.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

IMI acima de 100 euros? Vai poder pagá-lo em prestações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião