Netflix dispara em Wall Street, mas não é suficiente para animar as bolsas

No dia em que a Netflix revelou ter quase sete milhões de subscritores, a deceção dos investidores com os resultados da IBM e as expectativas perante a divulgação das atas da Fed falaram mais alto.

As bolsas norte-americanas abriram a registar uma ligeira queda depois de, na terça-feira, Wall Street ter recuperado das sessões anteriores. No dia em que a Netflix superou todas as expectativas ao arrecadar quase sete milhões de subscritores, a deceção dos investidores com os resultados da International Business Machines (IBM) e as expectativas antes da divulgação das atas da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) falaram mais alto.

Neste contexto, o S&P 500 abriu a recuar 0,1%, para 2.807,76 pontos, em linha com o industrial Dow Jones, que está a desvalorizar 0,57%, para 25.659,28 pontos. Já o tecnológico Nasdaq é a estrela desta sessão, a avançar 0,17%, para 7.658,546 pontos.

A pressionar as principais praças de Wall Street estão os resultados trimestrais da IBM, que apresentou uma quebra das receitas superior ao que os analistas estimavam. Com os investidores desanimados, a tecnológica abriu a sessão a afundar 7,38% para 134,43 dólares.

Além disso, os investidores esperam a divulgação, ainda na tarde desta quarta-feira, das atas relativas à reunião da Reserva Federal dos Estados Unidos que foi realizada em setembro e que resultou no terceiro aumento dos juros decretado em 2018.

Destaque para a Netflix, que está a avançar 7,05%, no dia em que anunciou ter arrecadado sete milhões de subscritores no terceiro trimestre, em comparação com os 5,07 milhões previstos pelos analistas e os cinco milhões previstos pela própria empresa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Netflix dispara em Wall Street, mas não é suficiente para animar as bolsas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião