Colégios GPS. Ivo Rosa iliba dois ex-decisores públicos

Os restantes cinco arguidos vão seguir para julgamento, no âmbito do caso dos colégios GPS. Em causa estão crimes de corrupção, burla qualificada e falsificação de documentos.

O juiz de instrução Ivo Rosa decidiu que não vai levar a julgamento dois dos sete arguidos do caso dos colégios GPS. Em causa está a falta de indícios suficientes do crime de corrupção, segundo o juiz. Os arguidos ilibados são José Manuel Canavarro, ex-secretário de Estado da Administração Educativa entre 2004 e 2005, e José Maria Almeida, antigo diretor regional de Educação de Lisboa.

Os dois antigos dirigentes públicos estavam acusados dos crimes de corrupção e de abuso de confiança. Os restantes cinco arguidos — todos ex-administradores dos colégios — serão presentes a julgamento, segundo avançou a Sábado.

Segundo o Ministério Público, os cinco administradores do grupo de ensino particular GPS (Gestão e Participações Sociais) e os dois decisores públicos estão acusados dos crimes de peculato, burla qualificada, abuso de confiança e falsificação de documentos, pela emissão de faturas que seriam falsificadas para justificar a saída de dinheiro dos colégios para as suas contas pessoais. Em causa estão mais de 36 milhões de euros do Estado, que eram destinados aos colégios que administravam através de contratos de associação, entre 2005 e 2013.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Colégios GPS. Ivo Rosa iliba dois ex-decisores públicos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião