“Coletes amarelos” já falam em guerra civil em Paris. Mais de 180 pessoas detidas

  • Lusa e ECO
  • 1 Dezembro 2018

Apesar do controlo policial, os protestos dos "coletes amarelos" persistem. Os manifestantes queixam-se da tributação dos combustíveis e exigem a demissão de Emmanuel Macron.

Paris vive cenas de violência “raramente vistas”.

Os violentos confrontos entre “coletes amarelos” e a polícia começaram, este sábado, cedo junto ao Arco do Triunfo, em Paris, com utilização de gás lacrimogéneo e canhões de água. O primeiro-ministro francês, que se disse “chocado”, já adiantou que, até ao momento, foram detidas, pelo menos, 183 pessoas e cerca de 90 ficaram feridas. Os manifestantes dizem que, se for necessário, voltarão no próximo sábado.

O movimento dos “coletes amarelos” nasceu espontaneamente contra a pesada carga fiscal aplicada aos combustíveis, em França.

Pelo terceiro sábado consecutivo, os manifestantes saíram, esta manhã, à rua, tendo entretanto alargado as suas reivindicações. Queixam-se agora também da perda de poder de compra e da desilusão geral com o Executivo de Emmanuel Macron, chegando a exigir a demissão do Presidente francês.

Ao contrário da semana passada, este sábado, os Campos Elíseos estão completamente controlados pela polícia. Foram mobilizados cerca de cinco mil polícias para manterem a ordem.

Revistas, controlos de identidade e barreiras intransponíveis estão montadas em todas as ruas que dão à avenida.

Os cerca de 1.500 manifestantes, que não aceitaram submeter-se ao controlo da polícia, tiveram assim de se concentrar junto ao Arco do Triunfo, tentando forçar as barreiras. Foi aí que aconteceram, as cenas de “violência raramente vistas” relatadas pelo primeiro-ministro francês.

“No início da manhã de hoje, pessoas equipadas e determinadas (…) fizeram prova de uma grande violência”, sublinhou Édouard Phillippe. De acordo com o governante francês, a polícia foi atacada, tendo sido detidas, pelo menos, 183 pessoas. Cerca de 90 pessoas ficaram feridas.

Os confrontos iniciaram-se perto do Arco do Triunfo e prosseguiram durante a tarde em várias ruas e avenidas da capital gaulesa, muitas delas frequentadas por turistas. Os manifestantes chegaram a construir barricadas no meio das ruas, atearam fogos, atiraram pedras à polícia e graffitaram o Arco do Triunfo. Os ativistas do movimento “coletes amarelos” incendiaram ainda diversas viaturas e baldes do lixo.

De notar ainda que, este sábado, a maior parte das lojas optou por fechar portas e barricar as vitrinas – muitas ainda partidas desde a semana passada.

As ações de contestação estão a causar grande embaraço ao Governo francês, tendo corrido mundo as imagens de confrontos entre manifestantes vestindo coletes amarelos e a polícia, no passado sábado, na emblemática avenida dos Campos Elíseos.

Recorde-se que estes protestos também já chegaram a Bruxelas, Bélgica, onde centenas de “coletes amarelos” se manifestaram, na sexta-feira. Cerca de 70 pessoas foram detidas, nessa ocasião.

Comentários ({{ total }})

“Coletes amarelos” já falam em guerra civil em Paris. Mais de 180 pessoas detidas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião