Já há mais de um milhão de sites .pt. Só em 2018 foram criados mais de 100 mil

  • Lusa
  • 4 Janeiro 2019

A Associação DNS.PT, que gere o .PT, diz que Portugal está na moda e que as empresas deixaram de ter vergonha de ter um domínio português.

A Associação DNS.PT, que gere o domínio da internet .pt, contabilizou 107.850 novos registos diretos em 2018, “o melhor ano de sempre”, adiantou a presidente do conselho diretivo do organismo, Luísa Gueifão, à Lusa.

A responsável assinalou que existiu “uma conjunção de fatores” que conduziram a este resultado, incluindo o lançamento de uma nova marca no ano passado, acompanhada de uma campanha de posicionamento.

Além disso, realçou Luísa Gueifão, a associação comemorou 30 anos em 2018 e atingiu, no início do ano, a marca de um milhão de registos, “e isso faz com que as pessoas estejam mais atentas à importância de ter um domínio .pt”, realçou.

No ano passado, houve vários meses com um desempenho crescente. A evolução nos registos começou em janeiro, com 10.693 novos domínios. Em março, a associação contabilizou 10.125 novos registos e em outubro obteve 9.488. Novembro fechou com 9.870 novos registos, revelou a DNS.PT.

Portugal está na moda, as empresas deixaram de ter vergonha de ter um domínio .pt e passaram a ver este facto como forma de orgulho, e isso fez com que as pessoas registem mais [domínios]”, garantiu Luísa Gueifão.

Segundo a presidente do organismo, “existia uma certa ideia de que ter um domínio .com tornaria as empresas mais internacionais”, mas a “Internet não tem fronteiras”, salientou.

A associação tem também levado a cabo “ações de sensibilização no que diz respeito ao desenvolvimento de competências digitais junto dos mais jovens, dos mais idosos, daqueles que não têm acesso a estas tecnologias de informação”, que têm contribuído para dar a conhecer a DNS.PT.

Segundo Luísa Gueifão, “neste momento, as pessoas percebem que o .pt é um domínio de confiança e apostam cada vez mais nisso. O que acaba por ser um entrave é o nível de digitalização, que é ainda muito baixo”, salientou.

A líder da associação recordou ainda que o organismo assinou protocolos com o Ministério da Justiça para que as empresas na hora tenham automaticamente um domínio em .pt e conta com um projeto “com o Ministério da Economia para em três anos haver a digitalização de 50 mil PME [Pequenas e Médias Empresas] que vão optar pelo .pt”.

A DNS.PT é associação privada sem fins lucrativos, que tem como associados a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), a Associação da Economia Digital (ACEPI) e a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO).

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Já há mais de um milhão de sites .pt. Só em 2018 foram criados mais de 100 mil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião