Nestlé está a recrutar. Há 100 vagas para as áreas financeira e de gestão

A empresa está à procura de colaboradores para o novo centro de serviços partilhados em Linda-a-Velha. Os selecionados vão começar a trabalhar já no início de março.

A multinacional Nestlé está à procura de novos talentos, que deverão começar a trabalhar, em Lisboa, já no início de março. Os candidatos devem ter formação nas áreas financeira e de gestão, uma vez que vão integrar o Nestlé Business Services Lisbon, o novo centro de serviços da empresa. O recrutamento vai decorrer em fevereiro, no Porto e em Lisboa, informa a empresa em comunicado.

Para encontrar os próximos 100 futuros colaboradores, a Nestlé vai organizar dois open days multilingue — alemão, dinamarquês, espanhol, finlandês, francês, holandês, inglês, italiano, norueguês e sueco –, em parceria com a Adecco. O objetivo destas iniciativas é “dar a conhecer aos candidatos o NBS Lisbon, clarificar todas as questões relacionadas com as vagas em aberto e realizar a primeira entrevista presencial”, diz a multinacional.

O NBS Lisbon é o novo centro de serviços partilhados da Nestlé, criado em 2017, que presta serviços a Portugal, Espanha, Itália, França, Reino Unido, Irlanda, Bélgica, Luxemburgo, Suíça, Holanda, Áustria e Alemanha e países nórdicos.

Conta atualmente com 300 colaboradores de cerca de 30 nacionalidades. Trata de atividades relacionadas com o “processamento de encomendas, compras e desenvolvimento de campanhas de media sociais digitais”.

O primeiro open day decorre no norte, a 13 de fevereiro, nas instalações da Adecco Porto, na Rua Padre António, 232, 5.º andar, escritório 5.1, na Maia. Dez dias depois, a 23 de fevereiro, ruma à capital aos escritórios da Adecco Lisboa, na Avenida D. João II, 1.06.2.5, 8º andar, no Parque das Nações.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nestlé está a recrutar. Há 100 vagas para as áreas financeira e de gestão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião