Governo trava entrada em bolsa da TAP. Empurra operação para 2021 ou 2022

  • ECO
  • 6 Fevereiro 2019

Executivo de António Costa defende que não há uma necessidade imperiosa de antecipar a entrada em bolsa. Empurrou a operação para 2021 ou 2022.

O Estado, que controla metade do capital da TAP, travou a intenção dos acionistas privados de dispersarem capital da transportadora aérea em bolsa. O tema esteve em cima da mesa nos últimos meses, mas o Governo considerou que o contexto não é favorável, empurrando a operação para 2021 ou 2022.

De acordo com o Jornal de Negócios (acesso pago), o consórcio Atlantic Gateway (que junta Humberto Pedrosa, David Neeleman e os chineses da HNA), que detém 45% da companhia aérea, defendia que era tempo de a empresa recorrer ao mercado para reforçar os capitais próprios, mas o Executivo de António Costa defende que não há uma necessidade imperiosa de antecipar a entrada em bolsa.

No âmbito do acordo parassocial assinado há três anos estavam previstos mecanismos que permitiam “assegurar a venda de ações a terceiros e/ou a dispersão em bolsa do capital social da TAP, contanto que o Estado português não perca a sua condição de maior acionista da TAP”. No entanto, o Governo recusou a intenção da Atlantic Gateway de o fazer já.

Não só o Executivo defende que não há necessidade de capitais, depois das várias operações de financiamento levadas a cabo pela TAP, como o contexto não é positivo. As operações falhadas da Sonae, Science4you e Vista Alegre reforçam a posição de António Costa que, assim, empurrou uma eventual operação deste género acabou para 2021 ou 2022.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo trava entrada em bolsa da TAP. Empurra operação para 2021 ou 2022

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião