TAP diz que melhorou desempenho ambiental em 13,5% e vai cortar ainda mais este ano

A TAP responde às acusações da Zero com uma melhoria do desempenho ambiental, calculado em emissões de CO2 por passageiro, de 13,5% desde 2015. Este ano pretende cortar mais 4,5%.

O aumento das emissões de carbono registadas pela TAP nos últimos dois anos é justificado pela companhia aérea com “o aumento da frota da companhia” e não por culpa de um aumento das emissões por passageiro ou rota voada, indicador onde a empresa até reduziu o total de emissões em 13,5% desde 2015.

A posição da transportadora aérea surge depois da associação ZERO ter concluído que a TAP foi “a companhia aérea na Europa com o segundo maior crescimento de emissões“, partindo de dados da Comissão Europeia, publicados esta segunda-feira.

Questionada pelo ECO, fonte oficial da TAP recordou que o indicador relevante para apurar o desempenho ambiental é o de emissões de CO2 por passageiro — forma de manter a comparabilidade do nível de emissões apesar da variação no total de voos anuais –, e que neste a companhia portuguesa “melhorou 13,5%” entre 2015 e 2018. Neste mesmo período, a TAP transportou mais cinco milhões de passageiros”.

Este ano a expectativa é que o peso das emissões por passageiro melhore ainda mais. “Para 2019, a TAP estima uma melhoria de 4,5% neste indicador, fruto da entrada em operação do moderno A330-900”, revelou a empresa ao ECO. Se em 2015 a TAP reportava a emissão de 270,1 quilos de CO2 por passageiro transportado, em 2018 este valor foi de 233,7 quilos/passageiro e, para 2019, a previsão é que o total de emissões fique por 223,4 quilos/passageiro.

Fonte: TAP; Emissão CO2(kgs)/passageiro

 

“A TAP tem atualmente em curso um grande programa de modernização de frota onde integrará, até 2025, 71 novas aeronaves consideravelmente mais eficientes do ponto de vista de consumo de combustível e emissões de dióxido de carbono para a atmosfera. A TAP será assim uma das companhias com uma das frotas mais modernas, mais eficientes e amigas do ambiente”, lembrou a empresa.

Segundo dados avançados pela transportadora na apresentação dos resultados de 2018, os aviões da gama “Neo” da Airbus, que estão gradualmente a ser integrados na frota da empresa, consomem menos 20% de combustível.

Além das 71 novas aeronaves previstas para a modernização da frota, a TAP iniciou em 2016 um programa de renovação do interior de cabines dos aviões em operação, tendo investido em materiais mais leves, o que no caso dos A319 permitiu retirar 700 quilos ao peso da aeronave — perto de 2% do total, de acordo com contas do ECO –, “o que se traduz num aumento da eficiência energética e ambiental da frota”.

Comentários ({{ total }})

TAP diz que melhorou desempenho ambiental em 13,5% e vai cortar ainda mais este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião