O Futuro da Moda: Dos Avatares às Casas de Moda Digitais

No sexto episódio da série Ecoolhunter analisamos o futuro da moda com as Futuristas e Trends Researchers que marcaram presença no congresso da APICCAPS.

O futuro da moda desenha-se com “Inclusivity, Gender Democracy, Body Positivity e Race Narrative”. Quem o diz é a futurista Geraldine Wharry, que inaugurou o congresso da APICCAPS, dedicado ao futuro da indústria e que teve como cenário o não menos futurista Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões.

“Há 40 anos, a APICCAPS fez o primeiro plano estratégico e sempre foi um princípio que consideramos um bom princípio: analisar o mercado, ouvir especialistas, nacionais e internacionais e perspetivar o futuro” explicou Paulo Gonçalves, Diretor de Comunicação da Associação, assumindo que “só assim conseguimos antecipar tendências e entender o que pode ser a evolução dos mercados e dos negócios”.

O futuro da influência, apontada como uma nova tendência, a chegada dos avatares e das Casas de moda digitais, mas também o tema da Sustentabilidade, vital para o futuro da indústria da moda, são alguns dos temas que analisamos no novo episódio da série Ecoolhunter.

O paradigma mudou “From Brand-Stand To Brand-Action” afirmou Maria Eugénia ErrobidarteSenior Consultant WGSN.

Comentários ({{ total }})

O Futuro da Moda: Dos Avatares às Casas de Moda Digitais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião