PS quer mais deduções fiscais no IRS para o segundo filho

  • ECO
  • 4 Julho 2019

Ideia do partido passa, por isso, por “aumentar os valores das deduções atuais”. Pode dar resposta, acredita, à necessidade de aumento da natalidade em Portugal.

O Partido Socialista (PS) está preocupado com a demografia. Defende “a necessidade de aumentar a natalidade”, sendo que para esse objetivo avança com algumas propostas, sendo que a principal passa por propor mais deduções fiscais no IRS para o segundo filho, independentemente dos rendimentos do agregado.

“O PS quer incentivar o aumento do número de filhos, sobretudo do primeiro para o segundo e do segundo para o terceiro”. É nestes níveis que “existe o principal bloqueio”, diz João Tiago Silveira responsável pelo gabinete de estudos do PS e coordenador do programa eleitoral, ao Público (acesso condicionado).

A ideia do partido passa, por isso, por “aumentar os valores das deduções atuais”, uma alteração que, acredita, “pode dar resposta pública no domínio do aumento da natalidade”. Existe, atualmente, uma dedução de 600 euros para cada filho abaixo dos três anos e de 726 para cada filho acima dos três anos.

Esta proposta é apresentada num pacote em que constam também medidas no sentido de promover “a redução da precariedade no emprego”, o “combate à precariedade na habitação”, a “necessidade de recebermos bem quem quer trabalhar e viver em Portugal”, não esquecendo o envelhecimento da população. Nesse sentido, João Tiago Silveira aponta para o reforço do Serviço Nacional de Saúde.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PS quer mais deduções fiscais no IRS para o segundo filho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião