Grande operador de criptomoedas quer seguradora

  • ECO Seguros
  • 11 Julho 2019

A Coinbase, uma das maiores empresas a operar no mercado cambial de criptomoedas, prepara, em conjunto com a gigante Aon, a criação da sua própria seguradora.

Um dos maiores cambistas de criptomoedas, a Coinbase, prepara-se para criar a sua própria seguradora, contando com o apoio da Aon, um gigante na prestação de serviços especializados nas áreas de gestão de riscos, resseguros, capital humano, benefícios e consultoria.

Trata-se de uma ‘seguradora cativa’, o que permite à empresa que a detém conservar os recursos que seriam aplicados no prémio de seguro. A Aon, que entre os serviços prestados faz a gestão de ‘cativas’, define-as como empresas de seguros e resseguros criadas por grupos empresariais para acautelar exclusivamente os próprios riscos. Quase todas as empresas da Fortune 500 mantêm seguradoras cativas.

A Coinbase e a Aon veem a nova seguradora como uma solução para a eventual falta de cobertura dos tipos de seguros disponíveis no mercado para o câmbio de criptomoedas, de acordo com a página online da CoinDesk, empresa especializada em criptomoedas e blockchain.

A Coinbase e a Aon não comentaram a criação da nova seguradora, mas Jacqueline Quintal, diretora da Aon, que reconhece que muitas empresas que operam no câmbio de criptomoedas se sentem “desconfortáveis“ com as soluções que o mercado segurador lhes oferece, pelo que procuram alternativas, aconselhando-as, entretanto, a recorrer, em primeira instância aos seguros tradicionais, explorando depois hipóteses alternativas, incluindo os ‘seguros cativos’.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Grande operador de criptomoedas quer seguradora

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião