Renault junta-se à chinesa JMCG para desenvolver veículos elétricos

  • Lusa
  • 17 Julho 2019

A Renault entrou como acionista da JMEV, subsidiária da JMCG, em 2018 e vai agora aumentar a sua participação para 50%.

O grupo automóvel francês Renault e o chinês JMCG anunciaram esta quarta-feira a criação oficial de uma filial conjunta para promover o desenvolvimento da indústria de veículos elétricos na China.

A decisão segue-se a um primeiro acordo assinado em 20 de dezembro de 2018, pelo qual a Renault entrou como acionista da JMEV, filial de veículos elétricos do JMCG criada em 2015. O fabricante francês sublinhou num comunicado que aumentará o seu capital social para converter-se em acionista de referência do JMEV, com uma participação de 50%.

Através desta filial conjunta, a Renault confia num aumento da sua influência no mercado chinês e a JMCG ficará “capacitada para explorar mais recursos, favorecendo o seu rápido crescimento no futuro”, adianta o comunicado. A companhia francesa sublinhou ainda que a China é um mercado chave para a Renault.

O presidente da JMCG, Qiu Tiangao, adiantou que para a JMEV, o facto de estar unida à Renault em âmbitos como o desenvolvimento de produtos ou o controlo de qualidade lhe permitirá aumentar a competitividade global e aumentar a sua penetração no mercado chinês.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Renault junta-se à chinesa JMCG para desenvolver veículos elétricos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião