Duas deputadas do PSD arguidas no caso de registo de falsas presenças no Parlamento

  • ECO
  • 19 Julho 2019

Emília Cerqueira e Maria das Mercês Borges ficaram sem imunidade parlamentar e serão constituídas arguidas no caso das falsas presenças em sessões parlamentares de José Silvano.

Duas deputados do PSD foram constituídas arguidas no caso do registo de falsas presenças em plenários da Assembleia da República. De acordo com o Jornal Económico (acesso livre), Emília Cerqueira e Maria das Mercês Borges ficaram sem imunidade parlamentar e vão ser constituídas arguidas.

O Ministério Público abriu, em novembro do ano passado, um inquérito ao caso das falsas presenças do deputado e secretário-geral do PSD, José Silvano. Após investigação, a Procuradoria-Geral da República acabou por remeter ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa os elementos disponíveis com vista à instauração de inquérito.

Agora, o Jornal Económico avança que foi retirada a imunidade parlamentar a cinco pessoas. Além das duas deputadas do PSD, Emília Cerqueira e Maria das Mercês Borges, também os membros do grupo parlamentar social-democrata José Silvano e Feliciano Barreiras Duarte perderam esse estatuto. Os últimos dois serão testemunhas neste caso.

Emília Cerqueira chegou a admitir ter sido, “inadvertidamente”, a autora do registo falso do colega no sistema informático de presenças em reuniões plenárias do parlamento. A deputada eleita pelo círculo de Viana do Castelo referiu ter acesso à palavra-passe pessoal de Silvano e de outros deputados e vice-versa, para terem acesso a documentos e ficheiros de trabalho guardados nos respetivos computadores.

Comentários ({{ total }})

Duas deputadas do PSD arguidas no caso de registo de falsas presenças no Parlamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião