Governo assume que “não é viável fazer um processo de mediação” por indisponibilidade da Antram

Patrões continuam a recusar sentar-se à mesa enquanto se mantiver a guerra. Perante este cenário, Governo assume que não é viável prosseguir com processo de mediação.

Miguel Cabrita, secretário de Estado do Emprego, assumiu ao início da noite desta quinta-feira que não é viável prosseguir com o processo de mediação pedido pelos motoristas enquanto se mantiver a greve iniciada na segunda-feira. Em causa está a recusada da Antram em sentar-se à mesa das negociações sem que os trabalhadores levantem ou suspendam a greve.

“O Governo acionou de imediato esse mecanismo, nomeando de imediato um mediador, um técnico da DGERT, que contactou a Antram formalmente, dando conta disso ao sindicato, e a Antram respondeu já, dando conta da inviabilidade de um processo de mediação enquanto durasse a greve”, afirmou Miguel Cabrita, em declarações aos jornalistas, transmitidas pela SIC.

A decisão do Executivo é comunicada, “sem surpresas”, menos de quatro horas depois de ter dado conta que aceitava o pedido de mediação do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas.

“Para nós é claro, talvez sem surpresa, dadas as posições dos últimos dias, que não é viável iniciar o processo de mediação com possibilidade de viabilidade e condições de êxito”, pelo que “o processo de mediação termina, dado que não há condições de viabilidade”, afirmou o secretário de Estado do Emprego. Recorde-se que o processo de mediação proposto pelo Governo há cerca de uma semana e pedido esta quinta-feira pelos motoristas exige que ambas as partes estejam disponíveis para negociar.

Depois do pedido entregue esta tarde por Francisco São Bento, presidente do SNMMP, na DGERT, a Antram já veio dizer que “negoceia desde que a greve seja levantada”. Em comunicado enviado às redações, os patrões lembram que “a proposta que foi apresentada pelo Governo ao SNMMP na semana que antecedeu a greve era a da realização de um processo de mediação com prévio levantamento da greve, a qual foi liminarmente rejeitada pelo SNMMP.”

(Notícia atualizada às 21H08)

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo assume que “não é viável fazer um processo de mediação” por indisponibilidade da Antram

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião