Milionário dos seguros suspeito de contrabando de diamantes

  • ECO Seguros
  • 26 Agosto 2019

Arron Banks, magnata dos seguros, mantém-se controverso: após o seu apoio generoso ao Brexit, está agora a ser investigado por alegadamente traficar diamantes.

Afirmar que o magnata do setor segurador Arron Banks é um empresário controverso será porventura um eufemismo. Famoso pelas suas generosas contribuições para o mundo da política, é conhecido como um dos “Bad Boys of Brexit” (um dos “maus rapazes” do Brexit), tendo surgido agora acusações de que faz contrabando de diamantes.

O jornal Sunday Times disse que as autoridades policiais britânicas (“National Crime Agency – NCA), cuja atuação não é estranha a Arron Banks (iniciaram, em 2018, uma investigação sobre as origens do dinheiro que o empresário afetou à campanha pelo “não” à continuação do Reino Unido na União Europeia) estão atualmente a avaliar as afirmações feitas por Chris Kimber ex-parceiro de Banks, sobre a possibilidade de gemas ilegais originárias do Zimbabwe e de outras locais terem sido colocadas no mercado como sendo provenientes das minas sul-africanas de Arron Banks.

De acordo com o jornal britânico, as autoridades (NCA) estão a analisar um depoimento de Kimber e vários documentos comprometedores. Estes incluem uma suposta cópia de um e-mail sobre tráfico de diamantes ilegais, alegadamente enviado por Banks em 2014.

Banks nega as acusações e diz que o antigo parceiro de negócios tem uma ‘pedra no sapato’. O milionário classificou-as como absurdas, afirmando que ele nem enviou o e-mail nem fez sair ilegalmente diamantes de África.

Banks começou a sua fortuna em Inglaterra através de seguradoras automóveis sendo atualmente parte interessada na Southern Rock Insurance e na Eldon Insurance.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Milionário dos seguros suspeito de contrabando de diamantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião