CNP Assurances e Cattolica disputam seguradora do UBI

  • ECO Seguros
  • 19 Setembro 2019

Em negócio de mil milhões de euros, dois interessados pretendem o controlo do ramo segurador do banco italiano UBI.

A CNP Assurances e a Cattolica Assicurazioni são os principais candidatos à compra do ramo segurador do banco italiano UBI Banca, noticia a Reuters.

O negócio, avaliado em mil milhões de euros, envolve a venda entre 60 a 70% da seguradora do quinto maior banco de Itália, especializada em seguros de vida e que detém participações em diversas joint-ventures.

Segundo a Reuters, a UBI Banca contratou a KPMG para tratar desta venda e pretende obter propostas firmes até ao final de setembro. O CEO do banco disse em agosto que o banco iria divulgar uma reorganização das suas operações seguradoras, enquadrada no seu novo plano de negócios.

A francesa CNP Assurances a quarta maior seguradora europeia na área de seguros pessoais, excluindo o sector da saúde. Presente também na América Latina, é a terceira seguradora do Brasil. Com mais de 5200 trabalhadores em todo o mundo, registou, em 2018, um resultado líquido de 1367 milhões de euros e, no mesmo ano, receitas de prémios de 32,4 mil milhões.

A italiana Cattolica Assicurazioni tem cerca de 3,6 milhões de clientes e registou, em 2018, uma receita de prémios de 5,8 mil milhões de euros. Com presença no sector segurador desde 1896 e fundada em Verona, tem quase 1700 trabalhadores. Inspirada na doutrina social da Igreja, trata-se da única seguradora do sector cooperativo presente na Bolsa de Milão.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CNP Assurances e Cattolica disputam seguradora do UBI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião