Grupo Ageas Portugal já prepara 2030

O consumidor está a mudar e a um ritmo acelerado. Para o acompanhar, a Ageas Portugal quer colorir um mercado “cinzento” e encontrou nas artes um território criativo.

A cultura e a arte foram assumidas como eixo estratégico de posicionamento do Grupo Ageas Portugal, juntando objetivos de notoriedade a um contributo para o desenvolvimento da sociedade. Faz também parte da estratégia para se tornar uma Love Brand dos portugueses.

Entre as parcerias está a Escola de Belas Artes (para desafiar jovens talentos a expor no espaço Cultura Ageas); a Casa da Música com o prémio Novos Talentos; a presença em eventos como o Festival das Artes de Coimbra ou o Festival de Marvão, o naming do Coliseu do Porto Ageas, uma parceria de três anos com o Teatro Nacional D. Maria II passando a dar também o naming ao Salão Nobre Ageas.

Estratégia que está a trabalhar o fator emocional e de experiência, mas também de proximidade, numa altura em que o grupo está já a pensar nos desafios no setor dos seguros para 2030 e em fase de mudança de sede, em Lisboa e no Porto, para responder aos desafios que também se colocam no local de trabalho, como a flexibilidade e a sustentabilidade.

Em entrevista, Inês Simões, diretora de marca e comunicação corporativa do Grupo Ageas Portugal explica como a marca está a colorir um setor tradicionalmente cinzento.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Grupo Ageas Portugal já prepara 2030

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião