Insurance Europe recusa seguro obrigatório para ciberataques

  • ECO Seguros
  • 14 Outubro 2019

A associação empresarial europeia que reúne 37 países considera que quem for forçado a comprar o seguro para cobrir riscos cibernéticos tenderá a não implementar as medidas de proteção adequadas.

Um relatório publicado na semana passada pela Insurance Europe, federação de associações de seguros de 37 países, defende que não deve existir na Europa um seguro obrigatório contra os riscos de cibertataques. O documento destaca o papel-chave da indústria seguradora para apoiar a União Europeia nos seus esforços de aumentar a cibersegurança e a competitividade.

Um seguro obrigatório contra riscos de ciberataques seria contraproducente para seguradoras e consumidores pois, entre outras razões, “quem for forçado a comprar o seguro tenderá a não implementar as medidas de proteção adequadas e os prémios seriam elevados devido à falta de um mercado competitivo em diversos estados-membros da União e custos administrativos adicionais derivados de sistemas obrigatórios”.

O documento, intitulado “Insurers’ role in EU cyber resilience”, destaca também o relevante papel da indústria seguradora no apoio à União para responder aos ciberataques pois “garantem a continuidade do negócio, ajudando as empresas recuperar rapidamente, aumentam a consciencialização dos cidadãos e das empresas para os riscos a que estão expostos e apoiam os responsáveis políticos europeus e nacionais sobre a melhor forma de mitigar os riscos”.

A Insurance Europe pede aos estados-membros da União Europeia que atuem para aumentar a cibersegurança e defendem que é relevante disponibilizar os dados sobre incidentes registados nesta área e uma cooperação público-privada em matéria de riscos catastróficos.

Além de não defenderem um seguro obrigatório para os ciberataques, o que os responsáveis políticos também não devem fazer é “introduzir uma standardização prematura” pois pode prejudicar tantos os clientes como as seguradoras.

A Insurance Europe é uma federação de associações empresariais do setor de 37 países, entre eles Portugal representado pela APS – Associação Portuguesa de Seguradores. Presidida desde o ano passado pelo austríaco Andreas Brandstetter, que também é o número um da UNIQA Insurance Group, a Insurance Europe representa, no conjunto dos seus associados, 950 mil profissionais, cerca de 1022 mil milhões de euros de prémios e 10200 mil milhões de euros de investimentos, estimando que os seus membros diretos e indiretos sejam responsáveis por 95% dos negócios na Europa entre seguradoras, resseguradoras, mútuas e PME’s.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Insurance Europe recusa seguro obrigatório para ciberataques

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião