Contas T3: Mapfre sobe receitas mas desce lucro

  • ECO Seguros
  • 4 Novembro 2019

A seguradora espanhola baixou em 12,5% nos lucros consolidados nos 9 primeiros meses deste ano, mas o crescimento de 27,5% da faturação em Não vida ainda compensou a quebra em Vida.

A seguradora Mapfre alcançou um lucro de 462,9 milhões de euros nos nove primeiros meses deste ano, menos 12,5% na comparação com idêntico período do ano passado, devido à queda no seu negócio Vida.

Em comunicado envido à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV), em Espanha, a seguradora refere também que obteve receitas de 20.297 milhões de euros, mais 6,5% do que em idêntico período do ano passado.

Do total do volume de negócios, 17.647 milhões de euros corresponderam a prémios de seguro, mais 2,5% na comparação com igual período do ano passado.

O ramo não Vida contribuiu, no período em análise, com mais 798 milhões de euros em prémios de seguro, mais 24,5% face a igual período do ano passado, ao passo que o contributo do negócio Vida foi de 409 milhões de euros brutos, uma queda de 27,8%.

A Mapfre explicou ainda que o negócio melhorou no Brasil e nos Estados Unidos, enquanto na Península Ibérica destacou “a evolução positiva dos prémios de seguro e da rentabilidade num mercado muito competitivo”.

Em Portugal há 30 anos, a Mapfre conta com 90 lojas e emprega “mais de 300 pessoas”, segundo a informação disponível no ‘site’ da seguradora.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Contas T3: Mapfre sobe receitas mas desce lucro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião