EUA prolonga programa de seguros contra terrorismo

  • ECO Seguros
  • 20 Novembro 2019

Ciberataques é a novidade no Programa de Seguros de risco de Terrorismo na sua quarta renovação após ter sido lançado por George W. Bush em 2002.

A Câmara dos Representante dos EUA aprovou o prolongamento do Programa de Seguro de Risco de Terrorismo (TRIA) que criou, em 2002, um sistema de compensação de perdas resultantes de um ato de terrorismo. Uma das novidades previstas é a realização de um estudo sobre ciberataques.

O documento, que terá ainda de ser votado no Senado dos EUA onde também deve merecer parecer favorável, foi aprovado com 385 votos a favor e 22 contra. Uma das novidades deste prolongamento que recebeu agora luz verde é o de incluir um estudo sobre os efeitos dos ciberataques.

Este estudo deve analisar as vulnerabilidades gerais e os custos potenciais dos ciberataques cibernéticos às infraestruturas dos EUA. Por exemplo, se “a responsabilidade cibernética sob uma linha de seguro de propriedade e acidentes é uma cobertura adequada para um ato de ciberterrorismo”, se os riscos cibernéticos podem ter um preço adequado e se o mecanismo de partilha de riscos no TRIA é apropriado para ato de ciberataque.

Deve também conter recomendações sobre como o Congresso poderia alterar o atual programa para “responder à próxima geração de ameaças cibernéticas”. A TRIA criou um programa federal temporário que fornece um sistema transparente de compensação pública e privada compartilhada por certas perdas seguradas resultantes de um ato de terrorismo certificado.

O TRIA oi criado em 26 de novembro de 2002, pelo presidente George W. Bush. e foi renovado várias vezes e por diversos presidentes em 2005, 2007 e 2015.

Comentários ({{ total }})

EUA prolonga programa de seguros contra terrorismo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião