Até 2030 mais de metade dos professores vai reformar-se

  • ECO
  • 25 Novembro 2019

O Conselho Nacional de Educação alerta para o cenário entre os atuais professores nos quadros. O número de alunos inscritos nas áreas de formação para a docência caiu para metade em cinco anos.

Mais de metade dos atuais professores do quadro, poderão reformar-se até 2030, tendo em conta que 52,9% têm 50 ou mais anos de idade. Tendo em conta este cenário, deveria ser acautelada uma eventual escassez, alerta o Conselho Nacional de Educação (CNE), num estudo feito a pedido do Parlamento.

O cenário é agravado pelo facto de que só 1,1% dos atuais professores têm menos de 35 anos, bem como pela tendência de redução registada nos alunos inscritos nas áreas de formação para a docência, cujo número caiu para metade nos últimos cinco anos, de acordo com o estudo citado pelo Público (acesso pago).

Apesar do aviso, a situação só é preocupante “se não formos capazes de fazer o planeamento necessário para que tenhamos professores em número suficiente nessa data”, aponta Maria Emília Brederode Santos, presidente do órgão consultivo, em declarações ao jornal diário.

Este contexto está a ser acompanhado pelo Governo, que está a “analisar, com detalhe, as necessidades de substituição de professores por via de aposentação, para identificar necessidades por grupo de recrutamento e por região”, adiantou fonte do gabinete do ministro da Educação.

O ministério irá também “mapear necessidades relativas à formação inicial de professores, avaliando os modelos existentes desta mesma formação inicial”, num trabalho “conjunto com as instituições de ensino superior com responsabilidades na formação de professores”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Até 2030 mais de metade dos professores vai reformar-se

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião