Seguro agrícola: Indemnizações de 2 mil milhões em Espanha

  • ECO Seguros
  • 26 Novembro 2019

O governo em exercício em Espanha anunciou um reforço de verba no convénio assinado entre a ENESA - Entidade Estatal de Seguros Agrícolas e a Agroseguro - Agrupamento Espanhol de Seguros Agrícolas.

Desde 2017 até este momento o volume de indemnizações pago pelo seguro agrícola em Espanha é superior a 2000 milhões de euros. Os números foram divulgados numa nota do Conselho de Ministros espanhol que dá conta da aprovação do aumento do crédito para a execução do plano de seguros agrários, em 2019.

O governo espanhol considera que a importância e a utilidade do seguro agrícola ficou bem patente em 2017 e em 2018, anos de “extraordinária sinistralidade” no sector agrícola onde o valor das indemnizações pagas aos afetados superaram os 700 milhões de euros. Nestas situações o seguro agrícola “respondeu de forma satisfatória” permitindo a viabilidade económica de muitas explorações agrárias.

Na sexta-feira o conselho de ministros do governo em exercício em Espanha anunciou um aumento de 33,47 milhões de euros no limite máximo de despesa previsto no convénio assinado entre a Entidade Estatal de Seguros Agrícolas (ENESA) e o Agrupamento Espanhol de Seguros Agrícolas Combinados (Agroseguro).

Com esta verba, o valor total disponível para a execução dos planos de seguros agrícolas combinados, no exercício de 2019, é de 244,7 milhões de euros.

O convénio tem como principais objetivos facilitar a execução do 40º plano de seguros combinados, definir os procedimentos para a liquidação das subvenções previstas no plano e em planos anteriores e regular outras ações de cooperação entre ambas as entidades.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Seguro agrícola: Indemnizações de 2 mil milhões em Espanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião