BRANDS' PESSOAS Descentralizar a gestão de RH: para quê?

  • BRANDS' PESSOAS
  • 2 Dezembro 2019

Com a crescente transformação digital, todos os caminhos levam à descentralização da gestão de recursos humanos. Entenda porquê!

As organizações desenvolvem-se como sistemas abertos. Elas crescem e amadurecem em profunda interação com o contexto económico, político e sociocultural que as envolve. Na origem deste fenómeno, está, naturalmente, a transformação digital de processos e rotinas.

Esta transformação digital está assente na constante e efetiva troca de informação, promovida pelas tecnologias da informação e comunicação. Meios que têm vindo a contribuir para o crescimento e desenvolvimento das organizações, com a crescente descentralização da gestão, especialmente na gestão de Recursos Humanos.

Descentralizar a gestão de RH? Como?

O técnico de recursos humanos já não está sozinho na incumbência de recolher informação e tratar processos. E porquê?

Porque, atualmente, os avanços tecnológicos fomentam a comunicação e agilizam as operações. É importante considerar que, numa empresa de grande dimensão, o técnico de recursos humanos pode não ter uma relação de proximidade e acompanhamento com todos os colaboradores da empresa, pois é extremamente complicado recolher e analisar informação sobre o perfil e o desempenho profissional de cada um dos colaboradores, de forma rigorosa e fidedigna, quando o seu número é considerável.

O tecido empresarial, especialmente no que respeita à gestão de Recursos Humanos, está cada vez mais ciente das potencialidades da tecnologia e das vantagens da sua implementação na execução de tarefas repetitivas e, na maioria das vezes, morosas.

Quem fala em descentralização da gestão, refere-se à partilha de responsabilidades na gestão de pessoas. É preciso delegar tarefas. Partilhar e, consequentemente, atribuir responsabilidades. Colocar a ênfase no colaborador e no líder de equipa. Dar autonomia e oferecer meios de interação.

Nesta época de intensa conectividade, surgem meios cada vez mais eficientes na simplificação de processos. Os modelos de automação possibilitam agilidade e fiabilidade na execução de processos.

Há mais tempo para a gestão estratégica. O acompanhamento do colaborador torna-se mais simples e mais preciso. A proximidade é estimulada. Erros e imprecisões deixam de ser recorrentes. A mobilidade, a autonomia, o feedback e o acesso à informação passam a ser uma constante.

Ao recorrer a soluções tecnológicas para a gestão de Recursos Humanos, o técnico de RH pode contar com o líder de equipa para recolher e aprovar informação relativa à gestão de férias, ausências, despesas ou performance dos membros da sua equipa, com mais rigor e precisão. Ao mesmo tempo, o próprio colaborador pode consultar e editar informação pessoal, aceder a recibos e declarações, registar as férias, faltas ou despesas.

Soluções que descomplicam os processos administrativos

As soluções de gestão de RH da PRIMAVERA auxiliam os técnicos da área a envolver todas as pessoas da organização, através de um sistema flexível que simplifica e automatiza muitas das tarefas morosas que estão, geralmente, a cargo da responsabilidade do técnico de RH. Assim, todos os processos relacionados com a gestão contratual e de vínculos, gestão de descontos e remunerações, processamentos salariais, gestão das ações de Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho, formação de colaboradores e reporting às entidades oficias passaram a ser executados automaticamente pelo sistema, libertando os recursos para outras ações mais geradoras de valor para a organização.

A dinâmica colaborativa é estimulada pela disponibilidade permanente da informação em plataformas de employee and manager self-service. Esta ferramenta promove a partilha de informação e a corresponsabilização do colaborador, sendo possível, em qualquer lugar e a qualquer hora, aceder a dados fidedignos e pertinentes para a gestão, simplificando de forma transversal a gestão administrativa do capital humano.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Descentralizar a gestão de RH: para quê?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião