BRANDS' ECO 22ª Feira do Empreendedor instala-se na Casa da Arquitetura de Matosinhos

  • BRANDS' ECO
  • 5 Dezembro 2019

A 22ª edição da Feira do Empreendedor acontece já nos dias 13 e 14 de dezembro, na Casa da Arquitetura de Matosinhos. O evento organizado pela ANJE tem como tema principal a sustentabilidade.

É uma das temáticas faladas da atualidade e, inevitavelmente, um fator crítico de sucesso para o tecido empresarial português e do mundo. A sustentabilidade é cada vez mais uma preocupação dos consumidores e uma realidade das empresas, que começam a adaptar políticas, produtos e serviços em prol das questões ambientais. É este o mote para a edição deste ano da Feira do Empreendedor, que no seu programa pretende analisar e debater o impacto da sustentabilidade em Portugal, bem como preparar empresas e empreendedores para esta nova realidade – tudo isto reunindo alguns dos principais players do ecossistema.

Eventos à medida dos desafios do ecossistema

A principal atração da Feira do Empreendedor é o seu espaço expositivo: no Entrepreneur Showcase, os visitantes podem conhecer bons exemplos de empreendedorismo (startups tecnológicas, PME inovadoras e microempresas de nicho) e, ao mesmo tempo, encontrar programas de formação e emprego, apoios à criação e expansão de empresas, oportunidades de financiamento e internacionalização, ofertas de tecnologia e produtos inovadores, momentos de networking e partilha de experiências. Este showroom empresarial serve, aliás, de âncora a vários outros eventos e atividades que decorrem na Feira do Empreendedor, designadamente os que visam a capacitação de empreendedores e empresas.

O debate de ideias e a partilha de conhecimentos também têm espaço no programa da Feira do Empreendedor. Durante os dois dias do evento, estão previstas mais de dez Masterclasses (painéis temáticos especializados com uma forte componente prática, em que, para além da análise/debate, se procura fomentar o contacto entre empreendedores e empresas com boas soluções, serviços e equipamentos para negócios early stage) e os Peer Groups (momentos de reflexão e discussão em que executivos, líderes e gestores de projeto partilham com o público soluções para desafios transversais às empresas).

Com o foco em potenciais empreendedores e em empreendedores early stage, vão ter lugar o WE’BIZ Pitch – sessões de pitch em que, como é habitual, jovens empreendedores apresentam os seus negócios a investidores, tendo em vista a captação de financiamento para projetos ou empresas – e o ChallANJE – um desafio direcionado aos estudantes do ensino superior, que durante um dia inteiro e num ambiente imersivo, solucionam problemas concretos apresentados por empresas de referência. Os estudantes vão organizar-se em equipas, escolher um problema e construir soluções ou propostas de solução a apresentar posteriormente em formato pitch. O objetivo é desenvolver a capacidade de análise e resolução de problemas nos estudantes e aproximá-los das empresas, que são potenciais interessadas neste capital humano. De referir que o ChallANJE tem como parceiros institucionais o CEIIA, o ISCAP, o IPAM e as universidades do Porto, do Minho e Lusófona.

O programa da Feira do Empreendedor 2019 contempla ainda os Workshops BEST – Business Education for Smart Tourism. Consiste numa ação de formação/divulgação deste programa nacional de capacitação de empresários, empreendedores e gestores do Turismo. O BEST promove um conjunto de iniciativas formativas, com o objetivo de transmitir conhecimentos e desenvolver competências que, perante a atual dinâmica do Turismo, potenciem a criação de valor para as empresas, para os negócios e para o sector em geral.

Além de tudo isto – e graças à interação criada entre participantes e visitantes – a Feira do Empreendedor serve de palco para o desenvolvimento de contactos, parcerias e novas oportunidades de negócio, numa atmosfera de networking entre empreendedores, mentores e investidores.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

22ª Feira do Empreendedor instala-se na Casa da Arquitetura de Matosinhos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião