Allianz antecipa: Mortes na estrada serão quase zero em 2040

  • ECO Seguros
  • 3 Fevereiro 2020

Em 2040, as mortes na estrada em países desenvolvidos terão sido reduzidas a quase zero e os sinistros rodoviários serão em número bastante mais reduzido face aos atuais, antecipa a Allianz Partners.

A antevisão é detalhada no ‘Mobility of the Future,’ um relatório que integra a série de estudos que o grupo alemão promoveu para prever o mundo daqui a 20 anos (‘The World in 2040’).

 

Fonte: «Mobility of the Future» – Allianz Partners

 

Com base neste exercício de futurologia, a companhia adianta que, em 2040, a mobilidade será mais limpa, mais segura e mais eficiente graças à utilização generalizada de veículos elétricos, aos avanços nas tecnologias de bordo para veículos autónomos e à informatização dos veículos, que serão mais como plataformas de software a circular e autoestradas inteligentes transformarão completamente as infraestruturas das redes viárias e a segurança rodoviária.

Fonte: «Mobility of the Future»-Allianz Partners


Ray Hammond
, considerado entre os futurologistas mais requisitados da atualidade, assina o estudo e realça “quatro grandes tendências” que estão a revolucionar o futuro da mobilidade: o rápido aumento da poluição do ar nas cidades, as mudanças climáticas, a descida do custo das energias renováveis e os avanços tecnológicos no setor automotive (baterias). Tudo isto está a levar as autoridades públicas a tomar medidas para transformar radicalmente a paisagem do transporte rodoviário e, como resultado, a paisagem urbana, explica o especialista distinguido pela ONU, em 2010, precisamente pelos serviços que tem prestado ao mundo na predição de tendências.

Claudius Leibfritz, CEO da divisão Automotive e membro do management da Allianz Partners, realça: Este relatório destaca as implicações a longo prazo (…). Para as seguradoras, estes desenvolvimentos implicam uma emocionante mudança de paradigma que sinaliza o surgimento de uma nova era de mobilidade mais limpa, segura e eficiente”.

A Allianz já está a trabalhar intensivamente para se adaptar a essas mudanças nos seguros do ramo automóvel e assegura que irá oferecer novos produtos e serviços de modo a contribuir para o novo paradigma no ecossistema da mobilidade e dar resposta às necessidades dos clientes, adianta o grupo segurador num comunicado.

A coleção de estudos que integram a série «The World in 2040» aborda uma diversidade de tendências e tópicos alinhados com as competências da Allianz Partners: Saúde global, assistência, seguro automóvel e seguro de viagem.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Allianz antecipa: Mortes na estrada serão quase zero em 2040

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião