PJ deteve suspeitos de burla de seguros

  • ECO Seguros
  • 6 Fevereiro 2020

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem e duas mulheres suspeitos de crimes de incêndio em edifício, homicídio na forma tentada e burla qualificada relativa a seguros também na forma tentada.

A simulação de um incêndio para burlar a companhia de seguros foi a conclusão das autoridades após terem detido três pessoas que estão alegadamente envolvidos num sinistro de “origem dolosa”, o passado dia 04 de janeiro, numa oficina de motos, em Arcos de Valdevez, de que resultou na morte de um jovem “interveniente”.

Em comunicado, a PJ de Braga informa que os três detidos, um homem, de 41 anos, e duas mulheres, de 24 e 27 anos, são suspeitos da prática “dos crimes de incêndio em edifício, homicídio qualificado na forma tentada e burla relativa a seguros qualificada, igualmente na forma tentada”.

Segundo a PJ, “o incêndio foi determinado pela intenção de obter a indemnização de uma seguradora, no seguimento de um plano previamente gizado pelos arguidos”. O incêndio “provocou a morte de um homem com 25 anos, interveniente na deflagração com recurso a produto inflamável”.

O incêndio ocorreu na madrugada de 4 de janeiro, numa oficina de venda e reparação de motociclos situada no rés-do-chão de uma moradia, em Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo e a detenção dos três suspeitos ocorreu “após apuradas diligências de investigação”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PJ deteve suspeitos de burla de seguros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião