BRANDS' ECO 21ª edição do World Corporate Golf Challenge arrancou em Lagos

  • BRANDS' ECO
  • 12 Fevereiro 2020

A 21ª edição do World Corporate Golf Challenge, agora organizado pela Golftattoo Eventos, arrancou em Lagos com a dupla Ricardo Pereira/Rui Coelho, da Turkish Airlines, a vencer a etapa algarvia.

A 21.ª edição portuguesa do World Corporate Golf Challenge (WCGC) arrancou em grande, no passado dia 8, com um dia perfeito de golfe no Palmares Ocean Living & Golf, em Lagos, e uma dupla campeã de luxo, a equipa n.º2 da Turkish Airlines, constituída por Ricardo Pereira e Rui Coelho.

O antigo guarda-redes da seleção nacional de futebol, um dos heróis do desporto nacional, e o representante da Nike Golf em Portugal são amigos e parceiros há muitos anos e têm créditos firmados neste autêntico campeonato mundial de empresas, tendo representado Portugal na Final Mundial em Cascais, em 2015.

Ao vencerem a classificação net, Ricardo Pereira e Rui Coelho colocaram-se de novo em posição de repetir a presença na Final Mundial do WCGC, agendada para o Oitavos Dunes, em Cascais, de 1 a 5 de julho, na medida em que foram uma das oito empresas a qualificarem-se para a Final Nacional, nos dias 30 e 31 de maio, no Montado Hotel &
Golf Resort, em Palmela.

“É um torneio de enaltecer, não só pela qualidade com que são organizadas estas etapas, mas quem tem a oportunidade de jogar as finais nacional e mundial sente o privilégio. Os jogadores são tratados quase como profissionais”, salientou o futebolista que se celebrizou no Euro2004 por defender uma grande penalidade sem luvas, mas que no golfe não dispensa a luva na mão esquerda.

Embora o WCGC exista há 27 anos e em Portugal há 21, esta época de 2020 reveste-se de uma nova roupagem, por a licença organizativa no nosso país ter sido atribuída à Golftattoo Eventos.

“É uma responsabilidade muito grande, um desafio de grande prestígio, este de representar a marca WCGC em Portugal, uma prova de 27 anos, que envolve perto de 40 países e mais de três mil empresa”, declarou o diretor-geral do Grupo Golftattoo, Pedro Castelo Branco, em entrevista ao programa “Golf Report”, da SIC Notícias.

A primeira experiência da nova organização só mereceu elogios das 36 equipas (72 jogadores) presentes, um número bastante agradável para as Qualificações Regionais do Algarve.

“Este ano também começou excecionalmente bem, como era de prever”, garantiu Francisco Paixão, o Diretor Regional de Marketing da Turkish Airlines, que ainda não joga golfe mas promete fazê-lo em breve.

Francisco Paixão estava, obviamente, também satisfeito por ter sido uma das suas equipas a levantar o troféu principal e a levar para casa dois bilhetes para qualquer voo da Turkish Airlines que tenha como destino a Turquia.

Esta etapa do Algarve em Palmares teve a Turkish Airlines como title sponsor, estatuto que será assumido pela Garofalo na etapa do Oeste, já no próximo dia 15 de fevereiro, no Bom Sucesso Resort, em Óbidos. Também a Audi terá o privilégio de destaque principal na etapa da Grande Lisboa, a 6 de março, no Club de Golf do Estoril.

Note-se que a Turkish Airlines já apoiava o WCGC antes de 2020, mas, inicia agora um novo ciclo, com a vontade de continuar por muitos e bons anos.

“A ligação da Turkish Airlines com o golfe já vem de trás e a relação com o WCGC começou há quatro anos. Esta é a nossa quarta edição. No passado correu bastante bem. O “target corporate” de empresas é importante para nós e é uma parceria que faz todo o sentido, ligando a parte empresarial à do desporto e do convívio. Será para continuar. É um evento onde há competição, mas de forma amigável e é uma relação que nos tem trazido frutos”, frisou Francisco Paixão.

Uma das sinergias mais evidentes para a Turkish Airlines é interligar o seu próprio torneio ao WCGC. Por exemplo, na tômbola de prémios foram sorteados dois convites para esse torneio organizado pela própria companhia aérea, cujo local e data ainda não foram divulgados.

Mas a Turkish Airlines foi ainda mais criativa. Em Palmares teve direito a cinco equipas, para as quais convidou os seguintes jogadores: Sergio Garcia/Barbara Polzot (n.º1), Ricardo Pereira/Rui Coelho (n.º2), Gilberto Kaneko/Ricardo Coelho (n.º3), Miguel Morais/António Portugal (n.4), e Manuel Gomes/Miguel Pinto (n.º5).

Ora Francisco Paixão explicou-nos o critério de seleção: “Os jogadores que foram convidados para as nossas equipas já ganharam quase todos o nosso torneio. Nesse sentido, temos uma boa relação com todos e faz sentido que sejam os embaixadores da Turkish Airlines no WCGC”.

Premiar o mérito desportivo aumenta também a probabilidade de arrecadar o título e houve esse final feliz da segunda equipa da Turkish Airlines ter ganho exatamente o torneio patrocinado pela marca.

“Foi bastante importante. Tínhamos confiança nas equipas que tínhamos convidado e sabíamos que uma delas iria ganhar de certeza”, revelou Francisco Paixão.

Ricardo Pereira (39) e Rui Coelho (37) totalizaram 76 pontos net. O ex-futebolista e atual comentador da SportTV, salientou a relevância para esse resultado da cumplicidade entre ambos, para além, também, do bom ambiente competitivo que se criou com a formação rival com que jogaram os 18 buracos aos percursos Alvor e Lagos de Palmares.

“É sempre bom ganhar e cada vitória é diferente. Hoje foi merecido porque jogámos muito bem. A envolvência ajudou, pois jogámos com o João Paulo Pingo e o Alan Morley, que são amigos, e também jogaram bem e puxaram por nós. Hoje foi um dia maravilhoso, com golfe fantástico, num campo lindo. Jogámos com parceiros que conhecemos, o que torna o dia mais divertido. Saímos felizes e ganhar é só a benesse do que se conseguiu em campo, porque a satisfação pessoal é ficarmos agradados com o nosso jogo, com o ambiente, e não haver nada de transcendente pela negativa”, especificou.

Esse “quadrado” foi, de facto, escolhido à medida, uma vez que João Paulo Pingo (39) e Alan Morley (33) colocaram a sua equipa, o Restaurante Ostradouro, no 2.º lugar, com 72 pontos net.

O 3.º lugar sorriu à Padaria Trigo Bom, com 71 pontos, representada por Vítor António (38) e Carlos Poucochinho (33).

O regulamento dita também o apuramento para a Final Nacional da melhor equipa na classificação gross e essa foi a Rogério Brandão, IMS, Lda., com 57 pontos, alinhando os jogadores Roger Brandão (36) e Duane Wessels (21).

Note-se que Roger Brandão, Ricardo Pereira e João Paulo Pingo já tiveram experiências passadas de competirem (como amadores) em torneios da PGA de Portugal, pelo que não admira que tenham sido os que mais pontuaram na classificação gross, respetivamente com 36, 38 e 34 pontos.

Apuraram-se também para a final Nacional as seguintes equipas, através da classificação net:

4.º lugar, Turkish Airlines n.º4, 71 pontos, com Pero Moura Portugal (36) e Miguel Portela de Morais (35);

5.º lugar, Pimenta Póvoas, 71 pontos, com Jorge Martinez (40) e Pedro Póvoas (31);

6.º lugar, Senivis, 70 pontos, com Samuel Barros (35) e Carlos Tinoco (35);

7.º lugar, Maquinar Mais, 69 pontos, com Vasco Alexandre (39) e João Almeida (30).

Participaram ainda as seguintes empresas: Aradepinta, Golftattoo, Fisiatris, Pamlares, Inal, Carga Quatro, Astrobalance, Restaurante O Branco, Garofalo, Rentals in Algarve, Sasaki, Mionetto, Frutas Pacheco, QPBLA, Caboz Exploração Hoteleira, AlvorKitCenter, Oficina Vítor Pomba, Petrofregim, Aníbal Carvalho e Filhos e Roberto & Matias Lda.

“Esta etapa de Palmares foi um sucesso e correu bem. O objetivo final é o golfe. O que procuramos é criar à volta um ambiente com qualidade de serviço, que faça com que as pessoas fiquem com uma boa memória deste dia passado connosco, com uma equipa que trabalha no golfe há muitos anos e tem muita experiência”, avaliou o promotor, Pedro Castelo Branco.

Para além das classificações net e gross, as Qualificações Regionais do Algarve premiaram alguns skills, com ofertas da Turkish Airlines, Garofalo e Costa Verde, aos seguintes jogadores: Amanda Keighren (bola mais perto da bandeira no buraco 2), Claire Juster (drive mais longo nos buracos 8 e 16), Barbara Polzot (drive mais longo no buraco 4), Roger Brandão (bola mais perto da bandeira no buraco 16 e drive mais longo no buraco 4), Ricardo Pereira (drive mais longo no buraco 18) e Carlos Martins (bola mais perto da bandeira no buraco 12).

A tômbola que encerrou o torneio sorteou prémios oferecidos pelos patrocinadores Illy, Turkish Airlines, Garofalo, Andros, Mionetto, Uriage, Palmares, Distintus, Costa Verde e Audi.

Comentários ({{ total }})

21ª edição do World Corporate Golf Challenge arrancou em Lagos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião