Argo avisa que balanço vem penalizado por perdas e gastos

  • ECO Seguros
  • 20 Fevereiro 2020

Os resultados do quarto trimestre e do conjunto de 2019 “são claramente inaceitáveis”, reconhece Kevin Rehnberg, presidente executivo interino do grupo Argos, antecipando balanço.

A instituição informou, em comunicado, que os números trimestrais e os do conjunto do exercício serão afetados negativamente “por certas perdas e rubricas de despesa”. O aviso consubstancia um ‘profit warning’, antecipando números cuja divulgação está agendada para 24 de fevereiro.

No exercício precedente, as perdas com acidentes ascenderam a 77 milhões de dólares, impactando 18 pontos no rácio consolidado do grupo no final do quarto trimestre. A Argo refere também que precisou de recorrer a fundos de reserva para responder a necessidades do negócio em Londres, na Europa e nas Bermudas (unidades que integram a divisão de operações internacionais do grupo). Também mobilizou reservas para os ramos de seguro patrimonial, seguros profissionais e coberturas em linhas de responsabilidade nos Estados Unidos.

A indústria seguradora “enfrenta um agravamento na gravidade das reclamações em várias linhas de negócio. Tomámos as medidas apropriadas para corrigir a taxa de perdas do ano atual e do anterior por forma a responder a essas condições e a informações específicas recebidas no trimestre”, justifica o CEO interino citado no comunicado da Argo.

As perdas com catástrofes, em particular pelos danos do ciclone Hagibis, e o reporte revisto de prémios angariados tiveram impacto negativo de 3 milhões de dólares na consolidação do quarto trimestre, penalizando o rácio de perdas em 0,5 p.p. no período. Adicionalmente, a companhia incluiu 12 milhões de dólares na rubrica de despesa por gastos com redução de pessoal e para compensar contas de cobrança duvidosa na Europa.

Com base nos dados, a companhia prevê averbar imparidades de ‘goodwill’ relacionados com o negócio europeu estimadas em 16 milhões de dólares no balanço do trimestre. Na operação internacional (Argo International Holdings), a companhia antecipa perdas trimestrais de 114 milhões de dólares relacionadas com atividade de subscrição.

Ainda, de acordo com informação disponibilizada ao mercado, a Argo revelou, no passado dia 06 de fevereiro, que acordou vender a filial Trident Public Risk Solutions e a respectiva plataforma de subscrição à Paragon Insurance. A transação, que deverá estar concluída nos próximos meses, resultará num ganho aproximado de 37 milhões de dólares (antes de impostos) para a Argo International Holdings.

O grupo Argo e as suas subsidiárias fornecem seguros P&C (propriedade e danos), além de resseguro e soluções de gestão de risco.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Argo avisa que balanço vem penalizado por perdas e gastos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião