Seguros comerciais ficam 7% mais caros na Europa

  • ECO Seguros
  • 23 Fevereiro 2020

Proteger a propriedade ficou 10% mais caro e o seguro contra danos subiu 3% no último trimestre de 2019. O índice composto europeu cresceu abaixo da média mundial, segundo a Marsh.

No último trimestre de 2019, o índice composto de preços dos seguros comerciais contratados na Europa perto de 7%, em comparação com igual período de 2018, revela a pesquisa da Marsh.

Os preços médios dos seguros comerciais registaram, em termos globais, um incremento próximo dos 11% no conjunto dos últimos três meses de 2019, o nono trimestre consecutivo de subida e a maior variação homóloga para o período desde a criação do índice em 2012, nota o relatório que acompanha o «Marsh Global Insurance Market Index».

Europa Continental (CE) vs Global

Fonte: Marsh. Gráfico combina dados da Europa (curva) e dados globais (colunas)


Na Europa continental, o índice composto aumentou 6,6%, consolidando cinco trimestres consecutivos de incremento
. O custo dos seguros de propriedade subiu pouco mais de 10%, enquanto os riscos de catástrofes registaram variação entre 5% e 10% na maioria dos países europeus.

Proteger os riscos de danos encareceu perto de 3%, fixando o segundo aumento consecutivo, anotando a quarta subida trimestral nos últimos seis anos. Por seu lado, o índice relativo às linhas profissionais e seguro financeiro verificou incremento a rondar 5%.

Europa: variação por coberturas principais

Fonte: Marsh

Na maioria dos países da Europa continental, os seguros de responsabilidade geral e indemnizações a trabalhadores estabilizaram ou situaram subidas ligeiras com variações ligeiras a um dígito, sintetiza o estudo.

Ampliando a análise à dimensão global, a companhia líder global em serviços de corretagem de seguros e gestão de risco resume algumas conclusões:

  • O impulso observado no índice composto reflete principalmente aumentos nos preços dos seguros para danos de propriedade, linhas profissionais e de seguros financeiros. Globalmente, em média, os preços dos riscos imobiliários aumentaram 13%; as linhas financeiras e profissionais subiram quase 18%. O número de sinistros aumentou 3%.
  • No trimestre analisado, os preços compostos aumentaram em todas as regiões geográficas pelo quinto trimestre consecutivo, impulsionados pelas taxas sobre coberturas D&O e património.
  • Todas as regiões do mundo reportaram aumentos médios de preços iguais ou superiores a 5% pela primeira vez desde a primeira edição do índice.
  • A região do Pacífico liderou o aumento relativo de preços compostos no índice (21%), uma tendência trimestral que foi constante nos últimos três anos. Nesta região, o aumento mais forte aconteceu nos seguros D&O (administradores e diretores), seguidos pelos seguros patrimoniais.

Comentando os resultados da pesquisa, Dean Klisura, presidente de Global Placement and Advisory Services da Marsh, comentou: “O impacto das perdas por catástrofes naturais e a crescente preocupação com as tendências de litígio levaram a aumentos de preços para muitos compradores de seguros”.

  • No Reino Unido, o índice cresceu 13,7% no trimestre e em termos homólogos, somando nove trimestres de incremento e com a área patrimonial – embora evidenciando aperto na capacidade e condições – a crescer 8%, e as coberturas de danos 3%. Os preços nas linhas de seguro financeiro e responsabilidade profissional cresceram acima de 20%.

Na perspetiva mundial, os preços aumentaram em todos trimestres nos últimos dois anos e, “embora a capacidade permaneça em grande parte forte, houve algumas restrições em certas linhas de produtos e regiões”, complementou Klisura.

A Marsh está presente em mais de 130 países, com cerca de 35 mil colaboradores. Sendo parte do grupo Marsh & McLennan Companies, é líder global na prestação de serviços e gestão de risco, estratégia e recursos humanos.

 

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Seguros comerciais ficam 7% mais caros na Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião