Marcelo em “quarentena” por causa do coronavírus. Presidente faz testes na segunda-feira

  • ECO
  • 8 Março 2020

Presidente da República não apresenta qualquer "sintoma virótico", mas decidiu entrar em "quarentena" domiciliária por razões preventivas. Marcelo faz testes na segunda-feira.

Marcelo Rebelo de Sousa “decidiu cancelar toda a sua atividade pública, que compreendia várias presenças com número elevado de portugueses, assim como a própria ida a Belém, durante as próximas duas semanas”. A decisão de entrar numa situação de “quarenta” domiciliária, preventiva, foi tomada porque uma turma da escola de Felgueiras que foi encerrada devido ao internamento de um aluno ter estado no Palácio de Belém na última terça-feira. O Presidente da República fará esta segunda-feira o teste ao Covid-19, confirmou à Lusa fonte oficial da Presidência.

Um comunicado publicado do sítio oficial da Presidência explica a decisão para a “quarentena” de Marcelo Rebelo de Sousa. “Na noite passada, na sequência de ter sido internado um aluno de uma escola de Felgueiras, foi encerrada essa escola. Hoje, à tarde, foi apurado que uma turma dessa escola havia estado em Belém, na última terça-feira, no âmbito da iniciativa “Artistas no Palácio de Belém”, em sessão a que assistiu o Presidente da República, tendo, no final, tirado fotografias com os alunos e professores, sem, no entanto, os ter cumprimentado um a um”.

Nem o aluno ora internado, nem a sua turma estiveram em Belém. Mesmo assim, “atendendo ao que se sabe hoje e não se sabia na terça-feira passada, apesar de não apresentar qualquer sintoma virótico, decidiu cancelar toda a sua atividade pública, que compreendia várias presenças com número elevado de portugueses, assim como a própria ida a Belém, durante as próximas duas semanas”. Ou seja, entra numa espécie de quarentena preventiva domiciliária.

Segundo a nota oficial, “estão já em curso contactos com todos os que estiveram presentes na sessão de terça-feira e foi suspensa a iniciativa “Artistas no Palácio de Belém”, programada para durar até ao fim do ano letivo”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marcelo em “quarentena” por causa do coronavírus. Presidente faz testes na segunda-feira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião