DGS recomenda uso de “máscaras comunitárias” em espaços fechados

Esta recomendação será feita de acordo com o "princípio básico de precaução em saúde pública e face a ausência de efeitos diversos", diz a ministra da Saúde.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) vai recomendar o uso de máscaras não cirúrgicas, também chamadas “sociais ou comunitárias”, em espaços interiores fechados e com elevado número de pessoas, como supermercados e transportes públicos, anunciou a ministra da Saúde, Marta Temido, na conferência de imprensa diária.

Esta recomendação é feita de acordo com o “princípio básico de precaução em saúde pública e face a ausência de efeitos diversos”, referiu a ministra. Marta Temido sublinhou que esta é uma “medida adicional e suplementar às medidas já implementadas”, e que é para quando o confinamento começar a ser levantado.

“Estamos em estado de emergência, o que apela à restrição das atitudes da vida diária às que são essencial”, nota a ministra. Numa fase posterior, “em que as pessoas possam situar-se em espaços fechados onde estejam várias pessoas, poderá ser considerada a utilização da máscara social ou comunitária, não-cirúrgica”, que “pode ser de diferentes materiais”, explica.

A medida, que estará inscrita numa norma que será divulgada esta segunda-feira, surge no seguimento das recomendações do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças da semana passada.

Marta Temido sublinhou que estas máscaras “não são recomendadas para profissionais de saúde nem pessoas doentes ou mais vulneráveis”. Na norma está definido que os respiradores são destinados aos profissionais de saúde e que as máscaras cirúrgicas são recomendadas para as pessoas dos grupos de risco e alguns grupos profissionais.

(Notícia atualizada às 13h40)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

DGS recomenda uso de “máscaras comunitárias” em espaços fechados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião