“Ninguém tenha ilusão de que a partir de maio vamos viver como vivíamos até fevereiro”, diz Costa

O primeiro-ministro reitera que até final de abril teremos no país "o máximo de contenção", para conter o surto de coronavírus.

O primeiro-ministro admite que, no próximo mês, as medidas de contenção impostas no país devido à pandemia do novo coronavírus poderão começar a ser aliviadas, mas alerta para que “ninguém tenha a ilusão de que a partir de maio vamos viver como vivíamos até fevereiro”.

Até final de abril teremos “o máximo de contenção”, disse António Costa, à saída de uma reunião com o cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, em declarações transmitidas pelas televisões. Depois desse período, teremos “consciência que poderemos começar a aliviar medidas”.

Costa tinha já sinalizado que em maio, se o surto evoluir como previsto, poderão reabrir as creches e o pequeno comércio. Ainda assim, o primeiro-ministro apontou que “vamos ter de conviver com este vírus até existir uma vacina, o que não está ainda no horizonte nos próximos meses”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Ninguém tenha ilusão de que a partir de maio vamos viver como vivíamos até fevereiro”, diz Costa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião