BRANDS' ECO Unilever FIMA agradece a profissionais que “andam na rua por todos”

  • BRANDS' ECO
  • 29 Abril 2020

A campanha junta dez marcas e presta homenagem não só aos "portugueses que ficam em casa" como a vários profissionais que "andam na rua por todos".

Há mais de 120 anos que a Unilever (Unilever FIMA em Portugal) quer fazer a diferença em milhões de vidas através das suas marcas e do impacto positivo que estas causam, ao agir em tópicos tão importantes para a sociedade como a ação climática, origem sustentável, igualdade de géneros, entre outros.

O fundador William Lever lançou o sabonete Sunlight em 1884, com a visão de promover a higiene e saúde da população. Acreditou “em fazer bem, fazendo o bem”. O mundo mudou muito desde então mas o propósito da Unilever não.

Face à atual situação, e com base no propósito de agir não só junto da cadeia de valor mas também da sociedade, a Unilever FIMA lançou em Portugal uma campanha multimarca de agradecimento a todos os profissionais que continuam a trabalhar fora de casa para assegurar que nada falte aos portugueses.

A campanha conta com o apoio das marcas Olá, Calvé, Lipton, Knorr, Dove, Vaseline, TRESemmé, Skip, Cif e Domestos e presta homenagem a profissionais de saúde, agentes de segurança, bombeiros, funcionários públicos, estafetas, entre outros.

Na área da responsabilidade social, a Unilever FIMA redobrou o apoio a determinadas IPSS com quem tem protocolos assinados e à Junta de Freguesia de Campolide, através da doação de produtos alimentares, higiene pessoal e limpeza de casa.

Decidiu também ajudar o SNS com envio de produtos de higiene pessoal, tais como de gel de banho, champô e creme hidratante. Tem ainda feito donativos diretos aos hospitais de norte a sul do país, com produtos de higiene pessoal e alimentares para serem distribuídos aos profissionais de saúde. Até ao dia de hoje, já foram doadas:

  • mais de 68.500 unidades de produtos alimentares;
  • mais de 22.000 unidades de produtos de higiene pessoal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Unilever FIMA agradece a profissionais que “andam na rua por todos”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião