BRANDS' ECOSEGUROS Formação: as repercussões legais do Coronavírus no setor dos seguros

  • BRANDS' ECOSEGUROS
  • 11 Maio 2020

A B.Law promove uma formação online no dia 28 de maio que dá uma perspetiva prática sobre o impacto da pandemia nos diversos seguros e uma visão do panomara europeu neste setor. Inscreva-se já.

O novo Coronavírus veio suscitar uma panóplia de questões no que toca ao setor segurador. Em especial, saber em que medida as consequências desta pandemia estão ou não incluídas nos vários tipos de seguros. Se estas questões lhe interessam, então reserve a tarde do dia 28 de maio.

“Coronavírus: as repercussões legais nos seguros” é o tema da próxima formação online promovida pela empresa de formação jurídica para não juristas B.Law, em parceria com o ECO. A formação destina-se a empresários, trabalhadores, mediadores de seguros, seguradoras, segurados, advogados, juristas e qualquer pessoa com interesse no tema.

As formadoras serão Margarida Lima Rego, Professora Associada e Vice-Reitora da Faculdade de Direito da Universidade Nova, e Patrícia Assunção Soares, Legal Counsel na Una Seguros, Doutoranda em Direito na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa e vencedora do prémio internacional de excelência académica ‘Dr. Isaac Halperin’, atribuído pelo CILA (Comité Ibero-latino Americano) da Associação Internacional de Direito dos Seguros (AIDA).

Programa da formação

  • Visão geral sobre o guia para o consumidor adotado pela Autoridade Europeia dos Seguros e Pensões Complementares de Reforma;
  • Perspetiva prática sobre a inclusão de eventos ocorridos por força da pandemia nos diversos seguros (viagem, saúde, acidentes de trabalho, danos e responsabilidade civil, crédito, “danos de exploração”);
  • Análise de cláusulas exemplificativas;
  • Seguro de responsabilidade civil automóvel;
  • Seguro de acidentes de trabalho em casos de lay-off;
  • Reembolso antecipado de planos de poupança reforma;
  • Medidas de flexibilização e recomendações da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões;
  • A atividade seguradora em estado de emergência e em estado de calamidade;
  • Uma visão sobre o que se passa na Europa em matéria de seguros;
  • Questões.

Quando?

Dia 28 de maio, das 14:30 às 17:30

Qual o preço?

100€

Se estas questões lhe interessam, faça já a sua inscrição. Envie um e-mail para Inês Caprichoso (ines.caprichoso@b-law.pt) ou contacte através de telemóvel (916439891).

IBAN: PT50 0035 0229 0001 8166 9300 7

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Formação: as repercussões legais do Coronavírus no setor dos seguros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião