Só 28% do crédito aprovado chegou às empresas

  • ECO
  • 27 Maio 2020

Dos 6,2 mil milhões de euros de linhas de crédito aprovadas, apenas pouco mais de 1,7 mil milhões já chegaram às empresas, indicam dados do IAPMEI.

Os 6,2 mil milhões de euros em linhas de crédito com garantia do Estado destinadas a ajudar as empresas a fazer face às dificuldades financeiras impostas pela pandemia já estão praticamente esgotados, mas menos de um terço desse valor chegou aos seus destinatários. Só 1,7 mil milhões de euros foram já contratados entre a banca e as empresas, avança o Jornal de Negócios (acesso pago), esta quarta-feira.

Segundo um documento disponibilizado os deputados, pelo presidente do IAPMEI, Nuno Mangas, durante uma audição no Parlamento, até 22 de maio tinham sido aprovadas 31.839 operações de financiamento no âmbito das linhas de crédito de apoio às empresas afetadas pela pandemia, num valor total de 6.208 milhões de euros. Das operações aprovadas pelas sociedades de garantia mútua, só 11.596 já tinham sido contratadas, num montante total de 1.733 milhões de euros. Ou seja, só 27,9% do crédito aprovado já terá chegado às empresas.

A demora de acesso às linhas de crédito garantidas pelo Estado tem sido alvo de críticas, tanto por parte das empresas como do próprio Governo. No último debate quinzenal, o primeiro-ministro António Costa apontou o dedo à banca dizendo existir uma “enorme disparidade” entre o valor aprovado de garantias estatais por parte da SPGM (entidade coordenadora da Garantia Mútua) e o valor entregue pelos bancos às empresas. Os bancos socorrem-se do prazo legal máximo de 30 dias úteis que dispõem para aprovar as operações de financiamento para justificar esta diferença. A Associação Portuguesa de Bancos (APB) garantiu ao ECO ainda que os bancos estão a “ser o mais ágeis possível”, lembrando que, em alguns casos, estão a levar cerca de uma semana para contratualizar esses financiamentos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Só 28% do crédito aprovado chegou às empresas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião