Substituir Siza Vieira? “Não tem fundamento. O meu trabalho é de mero cidadão”

Costa e Silva é o novo conselheiro do Governo que vai desenhar o plano de retoma da economia. O gestor explicou ao ECO que trabalha 'pro bono' e quer falar com partidos, parceiros e empresas.

O gestor da Partex António Costa e Silva vai ajudar o Governo a desenhar o plano de retoma da economia após a pandemia. Ao ECO, explica que é uma tarefa que levará meses e para a qual conta com a ajuda de partidos, parceiros sociais e empresas. Mas garante que cumpre um “dever cívico” e que nada tem a ver com uma eventual substituição de Pedro Siza Vieira no ministério da Economia.

O meu trabalho é de mero cidadão. É apenas uma tarefa cívica que estou a desempenhar pro bono. Continuo na minha empresa e o resto são especulações sem fundamento“, diz Costa e Silva ao ECO, sobre a possibilidade de ser o próximo ministro da Economia.

A hipótese foi avançada pelo Expresso, ao noticiar que o CEO da Partex está a trabalhar em colaboração com o primeiro-ministro António Costa. O semanário referiu, no sábado, que a saída do ministro das Finanças Mário Centeno do Governo depois do verão poderia ser colmatada com uma passagem de Siza Vieira para as Finanças e a entrada de Costa e Silva para o Governo, com a pasta da Economia.

O CEO da Partex não quis fazer mais comentários sobre essa possível mudança, confirmando apenas que “houve um convite do primeiro-ministro para fazer um plano a médio e longo prazo“. Explicou que esta será uma base de trabalho e que, ao longo dos próximos meses, pretende falar com vários membros da economia, apesar de dois partidos (Bloco de Esquerda e CDS-PP) já terem rejeitado fazer negociações que não sejam com membros do Governo.

"A proteção social das pessoas e das empresas é muito importante. Tem de haver um pacto com o Estado para capitalizar as empresas. É importante ajudar a capitalizar as empresas que têm futuro para não deixar que entrem em coma.”

António Costa e Silva

CEO da Partex

O programa tem sete ou oito objetivos estratégicos“, avança engenheiro de minas, apontando para âmbitos como: transportes ferroviários; infraestruturas portuárias; gestão de recursos de água; competências digitais das pequenas e médias empresas; reforço do investimento no sistema nacional de saúde (tanto em equipamentos como em recursos humanos); reconversão industrial; recursos endógenos; coesão territorial ou transição energética. “O que se pretende é uma visão integrada de tudo isto“, aponta.

“A proteção social das pessoas e das empresas é muito importante. Tem de haver um pacto com o Estado para capitalizar as empresas. É importante ajudar a capitalizar as empresas que têm futuro para não deixar que entrem em coma”, defende.

Sublinha, no entanto, que o trabalho está ainda em fase preliminar, que vai ser necessário “definir prioridades e ver qual a margem financeira que há”, bem como encontrar uma estratégia de prestação de contas que permita “evitar que se cometam os mesmos erros que no passado”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Substituir Siza Vieira? “Não tem fundamento. O meu trabalho é de mero cidadão”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião